O seu carro tem de ir à inspeção automóvel? Atenção às novas regras

A inspeção automóvel tem regras mais rigorosas desde 1 de novembro de 2020. Conheça a lista completa das novas exigências e evite aborrecimentos e gastos desnecessários.
Artigo atualizado a 29-11-2020
inspeção automóvel

As idas aos centros de inspeções tornaram-se mais complexas. Em causa estão novos procedimentos e instruções técnicas que os inspetores passaram a ter de observar. Outra das novidades é a alteração do quadro de classificação de deficiências, com desdobramento de todas as deficiências detalhando a sua descrição. O objetivo?  Permitir que sejam comparáveis entre inspeções realizadas por diferentes inspetores e perfeitamente compreendidas pelos proprietários. As novas regras da inspeção automóvel constam da Deliberação n.º 723/2020 do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), de 3 de julho de 2020.

Neste artigo, detalhamos as principais novidades da inspeção automóvel que deve conhecer antes de levar o seu carro a um centro de inspeção.

Novas regras da inspeção automóvel

Veículos sujos podem ser reprovados

Se as condições de limpeza do veículo prejudicarem as observações durante a inspeção automóvel, este deve ser reprovado. O inspetor deve ainda anotar essa deficiência na ficha de inspeção e explicar que a mesma impediu a realização dos ensaios e verificações correspondentes à inspeção.

Quilómetros fiscalizados entre duas inspeções

Sempre que numa inspeção automóvel for detetada uma diminuição do número de quilómetros constante no conta-quilómetros, relativamente a uma inspeção anterior, tal irregularidade deve ser anotada na ficha de inspeção através da menção “Quilometragem com alteração”. Esta nota deverá manter-se nas inspeções seguintes.

O objetivo deste procedimento é evitar a manipulação ilegal do conta-quilómetros em vendas de carros usados.

Se houver uma justificação para a alteração da quilometragem, através da apresentação de um documento válido para o efeito, esta situação deve ser anotada na ficha de inspeção através da menção “Alteração da quilometragem justificada”, mantendo-se este registo nas próximas inspeções. O documento exibido deve ficar arquivado no processo da inspeção.

Tapetes, tampas, coberturas e painéis podem ser removidos

Durante a inspeção automóvel podem ser removidos elementos desmontáveis como tapetes, tampas, coberturas, painéis ou outros, com a finalidade de verificar pontos importantes a controlar.

Problemas no quadro valem chumbo

O veículo pode chumbar na inspeção caso se verifique que o número do quadro é inexistente ou não localizável, contenha indícios de alteração ou viciação, ou não corresponda ao constante nos documentos de identificação do veículo, comprometendo a sua identificação. Tal situação deve ser anotada na ficha de inspeção.

Inspeção repetida, se necessário

O inspetor poderá repetir o teste de avaliação a um determinado item para confirmação de dados. Nesse caso, é considerado o último registo.

Inspetor pode circular com o veículo

Caso seja necessário confirmar o resultado da inspeção, nomeadamente no que se refere aos ensaios dos sistemas de travagem, de direção e suspensão, o inspetor pode circular com o veículo dentro do centro de inspeção. Isto desde que estejam asseguradas as devidas condições de segurança

Mau estado e excesso de carga impossibilitam inspeção

O veículo não deverá ser sujeito a inspeção quando o inspetor considere que o seu estado ou o da sua carga não permitem a realização de todos os ensaios e verificações sem colocar em risco a sua integridade física ou a de terceiros ou provocar danos em equipamentos de inspeção, nas instalações ou no próprio veículo.

Face a estas anomalias, o veículo deve ser reprovado pelo motivo mais grave considerado na avaliação. A inspeção deve assim ser interrompida, tendo o inspetor de descrever o ocorrido na ficha de inspeção.

Número de quilómetros e identificação do número de quadro podem ser fotografados ou filmados

Se, durante a inspeção automóvel, o inspetor considerar relevante o registo de anomalias, nomeadamente as que dependem de uma avaliação visual, como por exemplo o número de quilómetros, identificação do número de quadro ou situações de caráter eventualmente subjetivo, pode proceder ao registo digital fotográfico ou em vídeo dessas anomalias. Esses registos devem ser anexados ao processo do veículo. 

Híbridos e elétricos com verificações específicas

Os veículos híbridos e elétricos passaram a estar sujeitos à verificação de alguns itens específicos. Entre os novos aspetos a observar estão baterias, circuitos de alta tensão, cabos de massa e sistema de carregamento.

Segurança reforçada

Os equipamentos eletrónicos de segurança, como direção assistida (EPS), sistema de travagem (EBS) e controlo de estabilidade (ESP) também estão agora debaixo de olho dos inspetores. 

Limites máximos de opacidade mais exigentes

Foram definidos novos valores máximos de opacidade (método de verificação dos gases de escape dos motores a diesel). A medida visa detetar situações de remoção dos filtros de partículas. Obrigatórios em carros a diesel desde 2009, estes filtros permitem reter até 80% das emissões poluentes do escape. Porém, para reduzir os custos de manutenção e consumo, muitos proprietários removem, ilegalmente, estes filtros.

Operações de recall controladas

Os inspetores passaram, também, a controlar as operações de recall (idas à oficina a pedido da marca) quando estão envolvidas questões de segurança e aspetos relativos à proteção do ambiente. Se, na inspeção automóvel, verificarem que o veículo falhou ao recall, o chumbo é garantido.

 

Para que serve

A inspeção automóvel, ou Inspeção Periódica Obrigatória (IPO), tem como objetivo confirmar a manutenção das boas condições de funcionamento e de segurança dos veículos, tendo em conta as suas características originais, ou as resultantes de transformação autorizada.

Quando ir

Os carros ligeiros de passageiros devem realizar a primeira inspeção automóvel quatro anos após a data da primeira matrícula e, em seguida, de dois em dois anos, até completarem oito anos. Depois, a ida a um centro passa a ser anual.

Os veículos devem ser apresentados às respetivas inspeções até ao dia e mês do registo da matrícula. A inspeção pode, contudo, ser feita durante os três meses que antecedem essa data.

 

Ler mais

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?(opcional)

Torne-se Associado

Saiba mais