< Voltar à página de Poupança

Quer poupar a longo prazo? Siga estes cinco conselhos

Há decisões que o podem ajudar a poupar várias centenas de euros nos próximos anos.

Mudar de casa ou renegociar o seu contrato, investir em energias renováveis ou num veículo mais económico são apenas alguns exemplos de como pode poupar a longo prazo. Depois é aplicar as poupanças conseguidas em produtos rentáveis.

Poupar a longo prazo: cinco caminhos

1. Invista em painéis solares

Investir na compra de painéis fotovoltaicos pode ser uma boa opção para poupar a longo prazo. Além de assegurar energia para autoconsumo, permite vender o excedente à rede. Dependendo do perfil de cada família, o investimento num painel solar pode ser recuperado entre cinco a dez anos.

A poupança anual na fatura da eletricidade é significativa. Ao adquirir um sistema de autoconsumo é possível poupar mais de 80 euros anuais por cada conjunto instalado.

Uma simulação no site da EDP mostra que uma família de três elementos com tarifa simples, uma potência contratada de 6,9 kVA e uma fatura média mensal de eletricidade de 100 euros pode reduzir significativamente o seu gasto mensal com energia, caso invista na instalação de três painéis solares. Ou seja, a poupança anual oscilará entre os 317 e os 359 euros.

Ainda de acordo com a mesma simulação, os três painéis solares poderão ser adquiridos por 36,9 euros por mês em 48 mensalidades, sem juros.

2. Junte os seguros

Hoje em dia é preciso um seguro para praticamente tudo. Se vai comprar casa, fica obrigado a subscrever um seguro habitação-multirriscos e um seguro de vida. Entretanto, é indispensável ter um seguro de saúde e há ainda o seguro automóvel. Seguros e mais seguros que exigem várias dezenas de euros por mês.

Uma das primeiras medidas para poupar a longo prazo nos seguros é renegociá-los anualmente. Outra, é avaliar a necessidade de ter todos os seguros e verificar a sua eventual duplicação. Seguros associados a cartões de débito ou de crédito, bem como outros seguros, muitas vezes já dão acesso a alguns níveis de cobertura que também são abrangidos por alguns seguros automóvel. Caso encontre coberturas em duplicado, abdique destas e reduza a fatura mensal.

Contratar mais de um seguro na mesma seguradora também pode permitir descontos interessantes no preço do pacote e baixar, assim, o encargo com estes produtos.

3. Baixe a prestação da casa

A casa representa um dos maiores encargos mensais das famílias. Paga renda? Nesse caso, pode tentar negociá-la com o seu senhorio ou procurar outro imóvel com uma renda mais acessível.

Caso tenha um crédito à habitação, para poupar a longo prazo, pode procurar renegociar o spread com o banco. Para um crédito à habitação com um valor de financiamento de 160 mil euros a 35 anos e um spread de 2%, indexado à Euribor a 12 meses, a prestação atual é de 501,02 euros. Caso consiga renegociar a margem cobrada pelo banco e reduzir a taxa para 1,4%, o encargo mensal com o crédito baixa para 454,72 euros, o que implica uma poupança mensal de 46,3 euros. No final do ano, a poupança sobe para 555,6 euros.

4. Troque a bomba de gasolina por uma tomada

As despesas com combustível são ainda uma das principais dores de cabeça dos portugueses. Todos os dias, milhões de pessoas usam o carro para se deslocarem para o trabalho ou para levarem os filhos à escola. E encher o depósito pode custar centenas de euros por mês.

A compra de um carro elétrico poderá ajudar a poupar a longo prazo nos encargos com o combustível. E a diferença entre a compra de um carro a gasolina ou gasóleo em relação a um carro elétrico pode ser recuperada ao fim de poucos anos. A fatura com a compra de um carro 100% elétrico poderá ainda ser minimizada através do benefício fiscal atribuído pelo Governo. Em 2020, por exemplo, quem comprar um totalmente veículo tem direito a um cheque de 3 000 euros.

Ao trocar um carro a gasolina ou gasóleo por um veículo elétrico poderá reduzir a sua fatura de combustível para menos de um terço. Esta é uma das formas mais eficientes para poupar a longo prazo.

5. Comece já

Poupar não é uma opção, é uma realidade. Há várias razões que levam um cidadão ou uma família a poupar a médio e longo prazo: acumular algum capital para fazer face a um período mais complicado, garantir um pé de meia para os “anos dourados”, juntar dinheiro para abrir um negócio próprio, custear umas férias mais exóticas, obter a independência financeira ou, no caso das famílias, deixar um legado para os descendentes.

As modalidades mutualistas de poupança, como o Poupança Mutualista Prazo Certo, são uma boa solução para quem quer garantir um investimento a médio e longo prazo.

Se o seu objetivo é investir no futuro ou concretizar um projeto pessoal, o Montepio Capital Certo permite-lhe aplicar capital, de uma única vez, com valorização acrescida e crescente ao longo do período de subscrição e total flexibilidade no reembolso. Com um rendimento anual fixo, predefinido e capitalizado, esta modalidade oferece uma solução ideal para fazer crescer a poupança.

Agora que já conhece as principais formas de poupar a longo prazo, coloque-as em prática. As suas finanças pessoais agradecem.

Ler mais

Mais sobre

Poupança

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?