< Voltar à página de Covid-19

Está a pensar regressar ao ginásio? Fique a conhecer as regras da DGS

Interdição do uso de balneários, distância de segurança entre os utilizadores, arejamento entre as sessões, equipamentos virados para o mesmo lado são algumas das muitas regras da reabertura dos ginásios e health clubs.

A retoma da atividade dos ginásios e health clubs foi uma agradável surpresa para os frequentadores habituais destes espaços, uma vez que, inicialmente, esta medida não estava prevista para a terceira fase do plano de desconfinamento, que começou no dia 1 de junho. Tal só foi possível porque a Direção-Geral de Saúde (DGS) conseguiu, entretanto, definir normas de segurança para assegurar a minimização da transmissão da Covid-19 em infraestruturas desportivas e outros espaços onde decorra prática desportiva, incluindo nos espaços ao ar livre ou fechados, pistas, ginásios, piscinas, academias desportivas, salas de massagem e health clubs.

Registo obrigatório com a devida autorização

Para efeitos de eventual vigilância epidemiológica, deve ser mantido um registo, devidamente autorizado, dos nomes e contactos telefónicos dos funcionários e utilizadores que frequentaram os espaços de prática de atividade física (sejam infraestruturas ou espaços de ar livre), por data e hora de entrada e saída.

Desinfeção das mãos à entrada e saída

Os utilizadores e funcionários devem desinfetar as mãos à entrada e saída das instalações ou de outros locais onde decorra a prática de atividade física, e após contacto com superfícies de uso comum, usando as soluções anti-sépticas de base alcoólica dispersas pelas instalações. No caso de treino noutros espaços ao ar livre o técnico responsável pela supervisão da sessão deve garantir a disponibilização de soluções anti-séticas de base alcoólicas a todos os praticantes.

Distanciamento físico entre dois a três metros

Deve ser assegurado o distanciamento mínimo de três metros entre as pessoas que estão a realizar exercício físico e de dois metros entre as que não estão a fazê-lo (receção, bar, cafetaria, espaços de circulação, etc.).

Marcação online sempre que for possível

As marcações para treinos e aulas devem ser realizadas preferencialmente online.

Máscara apenas é dispensada durante o exercício físico

Os utilizadores devem usar máscara na entrada e saída das instalações, estando dispensados desta obrigatoriedade nos momentos de prática da atividade física. No caso dos funcionários, o uso de máscara é igualmente obrigatório, a não ser quando estiverem a lecionar sessões de treino que impliquem a realização de exercício físico.

Marcações no chão para garantir distanciamento

 A DGS recomenda a marcação de lugares, por exemplo, através de marcações no chão, de forma a garantir o distanciamento físico. Pode ser ainda necessário reconfigurar os diferentes espaços de prática de atividade física, reposicionando, vedando ou removendo equipamentos.

Contacto físico só em situações de emergência

Não é permitido o contacto físico quer entre técnicos, funcionários e utilizadores, quer entre os utilizadores, exceto em situações de emergência.

Equipamentos virados para o mesmo lado

 Os equipamentos disponíveis em espaços de treino, como por exemplo ergómetros, máquinas de musculação, pesos livres, equipamentos gímnicos, mesas de ténis de mesa, entre outros, devem estar posicionados para o mesmo lado, de forma a evitar um “frente a frente” com outros equipamentos ou corredores de circulação, mesmo que garantidos os três metros de distância.

As superfícies porosas como pegas de equipamentos deverão ser revestidas com película aderente diariamente, ao início do dia, antes da abertura, e substituídas sempre que visivelmente degradadas, devendo ser descartadas ao final do dia, depois do encerramento.

Deve ainda ser evitado o uso de equipamentos com superfícies porosas, como alguns tipos de colchões.

Nos gabinetes ou salas de massagem, a marquesa e demais equipamentos utilizados devem ser submetidos a desinfeção e higienização entre utilizadores.

Aulas de grupo com menos participantes

As aulas de grupo – em sala ou piscina – devem contemplar a redução de participantes, assegurando que a lotação máxima é reduzida, de forma a garantir o distanciamento físico de pelo menos três metros entre utilizadores. Essa distância deve ter em conta a disposição e movimentos das pessoas ao longo das sessões, de acordo com a tipologia da sessão. Ou seja, as sessões de artes marciais e desportos de combate, por exemplo, devem ser devidamente adaptadas.

A DGS desaconselha também a retoma de sessões de grupo para grávidas, idosos e pessoas com doenças crónicas.

20 minutos de arejamento e ventilação entre sessões

Entre sessões, os espaços devem ser arejados e ventilados durante pelo menos 20 minutos. Os ginásios e health clubs devem ainda proceder à limpeza e higienização dos espaços e equipamentos utilizados.

Piscinas abrem, mas saunas, banhos turcos e spa continuam encerrados

A limpeza e desinfeção da piscina deve ser realizada com o procedimento habitual, devendo-se substituir a água e proceder à cloragem ou outro tipo de desinfeção química.

A água deve ser testada regularmente quanto à química correta e desinfeção adequada, sendo ainda necessário verificar se a instalação está livre de outros riscos químicos e físicos.

Todos os operadores devem manter registos atualizados dos resultados e testes de qualidade da água. Desta forma, devem ser reforçados os mecanismos de desinfeção do circuito de água da piscina.

É obrigatório higienizar as mãos na entrada do cais da piscina e usar óculos de natação dentro da mesma e área circundante, de modo a evitar tocar com as mãos nos olhos.

As saunas, os banhos turcos, os solários e os equipamentos de hidromassagem permanecem encerrados.

Balneários fechados (​só se pode utilizar casas de banho e cacifos)

O uso de balneários está interdito, pelo que os utilizadores devem procurar alternativas, nomeadamente nos seus domicílios. Apenas é permitido o acesso a cacifos e instalações sanitárias.

Também não são permitidos bebedouros, optando por dispensadores de água com copo de plástico ou para enchimento da própria garrafa do cliente, sem tocar no bocal do dispensador.

Estão igualmente proibidos os aparelhos de secagem das mãos, devendo ser privilegiado o uso de papel das mãos descartável.

Ler mais

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?

Torne-se Associado

Saiba mais