< Voltar à página de Gestão Diária

Da eletricidade ao automóvel: 8 preços vão mudar em 2020

Ano novo, preços novos. Saiba o que vai mudar na sua vida no próximo ano.

Habitação, telecomunicações, automóveis e transportes públicos ficarão mais caros em 2020. Mas nem tudo são más notícias. O preço da eletricidade vai baixar e as consultas dos centros de saúde deixarão de ser pagas. Saiba tudo o que vai mudar para a sua carteira ao longo do próximo ano.

Preços em 2020:

1. Habitação: rendas aumentam 0,51%

O valor das rendas aumenta 0,51% em 2020, menos de metade da subida registada em 2019 (1,15%). Um inquilino que pague 500 euros de renda em 2109, pagará 502,550 euros a partir de 2020, um aumento de 2,55 euros.

Esta subida é definida pela publicação, em Diário da República, do coeficiente de atualização anual das rendas, pelo INE (Instituto Nacional de Estatística), e tem em consideração a variação média do índice dos preços nos últimos 12 meses até agosto.

Em 2020, o coeficiente é de 1,0051, o que significa mais 0,51 euros por cada 100 euros de renda.

Lembramos que se o senhorio quiser aumentar a renda, deve comunicar o novo valor ao inquilino com pelo menos 30 dias de antecedência ao pagamento da nova renda. A comunicação deve ser feita através de carta registada, com aviso de receção, ou entregue em mão contra-assinatura do inquilino.

2. Eletricidade: preços do mercado regulado baixam 0,4%

A partir de 1 de janeiro de 2020, os clientes domésticos que ainda estejam no mercado regulado, ou que tenham optado pela tarifa equiparada, verão a fatura de eletricidade reduzida em 0,4%, de acordo com informação avançada pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Assim, uma família que pague mensalmente 43,9 euros de eletricidade terá uma redução de 18 cêntimos na fatura. Ao final de 12 meses, a poupança é 2,11 euros. Já uma família que pague, todos os meses, 100 euros, terá uma poupança mensal de 40 cêntimos. Ao final do ano, poupou 4,80 euros.

3. Transportes públicos sobem 0,38%

Andar de autocarro, metro ou comboio será mais caro em 2020. A Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) anunciou, em outubro de 2019, que a taxa de atualização tarifária (TAT) aumentará 0,38% em 2020.

No entanto, a Área Metropolitana de Lisboa já avançou que os valores dos passes Navegante manter-se-ão iguais em 2020, podendo a taxa ser aplicada nas tarifas dos títulos de transporte ocasionais e monomodais. Enquanto isso, a Área Metropolitana do Porto anunciou que reproduzirá o aumento de 0,38% nos serviços de transporte público da sua competência.

4. Telecomunicações mais caras

A MEO já anunciou que a partir de 1 de janeiro atualizará os preços com base no Índice de Preços no Consumidor, publicado pelo INE. Este aumento terá o valor mínimo de 50 cêntimos, com IVA incluído. Veja aqui os tarifários para 2020.

Os clientes NOS também podem esperar uma atualização no seu tarifário. Segundo informações recolhidas pelo Jornal de Negócios, “os preços de alguns serviços serão atualizados, conforme previsto nas condições de serviço, em 1%, que corresponde à última taxa de inflação nacional anual publicada pelo INE”.

Se é cliente Vodafone ou Nowo tem mais sorte. A mesma publicação avança que as duas operadoras de telecomunicações farão alterações nos preços em 2020.

5. Portagens mantêm-se

Os preços das portagens manter-se-ão em 2020. A fórmula que estabelece a forma como é calculado o aumento (ou não) das portagens (decreto-lei nº 294/97) tem como referência a taxa de inflação homóloga sem habitação no Continente, verificada antes de 15 de novembro.

Visto que este indicador, em outubro de 2019, se situou nos -0,13%, deverá haver uma estabilização dos preços das portagens em 2020.

6. Pão com ligeiro aumento

O preço do pão pode vir a sofrer “ligeiras correções de preços”, afirmou Graça Calisto, da Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares, à Agência Lusa. Este aumento está relacionado com o aumento do salário mínimo e com a redução do consumo de alimentos com hidratos.

7. Automóvel: Impostos e inspeção aumentam

Ter automóvel ficará, na generalidade, mais caro em 2020. A saber:

  • Imposto sobre Veículos (ISV) sobe 0,3%:

Em 2020, haverá um aumento generalizado na componente de cilindrada, na ordem dos 0,3%. Haverá também, devido à extinção do regime transitório de 2019, uma adaptação nas tabelas relativas à componente ambiental. As tabelas passam a ser calculadas através do método WLTP (Worldwide Harmonized Light Vehicles Test Procedure), o novo sistema de medição de CO2.

Esta nova fórmula penalizará os automóveis que mais poluem, no entanto, só entrará em vigor em março de 2020, quando o OE começar a ser posto em prática.

  • Imposto Único de Circulação (IUC) aumenta 0,3%

À semelhança do que acontece com o ISV, as taxas de IUC são atualizadas à taxa de 0,3%, em sintonia com a inflação, e as tabelas e regras do imposto são adaptadas ao novo sistema de medição de CO2.

  • Inspeção periódica cresce 0,25%

Levar o automóvel à inspeção também sairá mais caro em 2020. Isto porque as tarifas das inspeções técnicas foram alvo de uma atualização à taxa de inflação de 0,25%.

8. Consultas nos centros de saúde mais baratas

A eliminação das taxas moderadoras nos cuidados de saúde primários, prevista na Lei de Bases da Saúde, vai ser regulamentada no início do ano, mas será implementada de forma faseada. Numa primeira fase, a eliminação das taxas de moderadoras apenas se aplica às consultas nos CSP (Cuidados de Saúde Primários).

 

 

Ler mais

Torne-se Associado

Saiba mais