< Voltar à página de Gestão diária

Carro usado: O que deve inspecionar antes de comprar

Já escolheu o carro usado que pretende comprar e é um leigo nesta matéria? Para evitar comprar “gato por lebre”, tome nota dos principais pontos-chave que deve avaliar (meticulosamente) antes de concretizar a aquisição.
Comprar um carro usado pode ser uma boa opção para quem não pode, ou não quer, gastar muito dinheiro, desde que sejam tomadas as devidas cautelas.

Os preços elevados dos automóveis novos e a forte desvalorização que sofrem assim que saem do stand são as principais razões que levam alguns consumidores a optar por comprar veículos em segunda mão. No entanto, se não forem tomadas determinadas cautelas, a aquisição de um carro usado pode revelar-se um péssimo negócio e dar muitas dores de cabeça.

5 passos a dar antes de comprar um carro usado

1. Examine (em detalhe) o exterior

Carro limpo, seco e à luz do dia. Só desta forma será possível detetar, a olho nu, eventuais defeitos exteriores (ferrugem, riscos na pintura, amolgadelas, mossas, etc.). Na vistoria ao exterior do veículo deve ter especial atenção às partes mais expostas à ferrugem: guarda-lamas, debaixo da própria viatura e das portas, em volta dos vidros, das extremidades do capô e da mala.

É ainda conveniente verificar as luzes (faróis, piscas, piscas de nevoeiro e iluminação da placa de matrícula) e a pintura. Esteja particularmente atento aos pneus: o desgaste irregular é sinal de defeitos de suspensão, geometria, equilibragem das rodas ou pressão deficiente, e, além disso, se estiverem “carecas”, significa que necessitarão de ser trocados, o que implica uma despesa considerável.

Se, durante a inspeção ao exterior do carro, verificar diferenças de cor da pintura, ao longo da carroçaria; para-choques, grelhas e faróis mal ajustados; ou portas, vidros, mala e capô desalinhados, é porque, muito provavelmente, sofreu um acidente.

2. Avalie (também) o interior

Examinado o lado de fora do carro, o próximo passo é verificar o estado de conservação do seu interior, bem como o funcionamento dos instrumentos de bordo. Aqui, a lista de itens a observar é ainda mais longa. Comece por abrir as portas e sentir o cheiro do interior do automóvel. Depois, verifique se os bancos funcionam, os estofos não têm buracos ou outros danos, os tapetes estão gastos e os cintos de segurança fixam bem.

Ao volante, mas com o carro parado, teste a caixa de velocidade. Não há folgas e a manete está em bom estado? Passe para os pedais. Carregue em todos. “Pressione o pedal do travão por 20 segundos e verifique se mantém a pressão inicial. Caso contrário, pode ter uma fuga no circuito”, recomenda a associação de defesa do consumidor.

Agora, retire os pés dos pedais e verifique se as respetivas borrachas estão gastas ou foram substituídas. Ambos os cenários sugerem quilometragem elevada. E se os números do contador de quilómetros estiverem desalinhados? Nesse caso, o mais provável, é a quilometragem não ser verdadeira.

Chegou o momento de testar os instrumentos de bordo. Piscas, quatro piscas, buzina, limpa para-brisas, faróis, faróis de nevoeiro, desembaciador, rádio, sistema de climatização, cruise control. Confirme que tudo está operacional. Verifique ainda se existe alguma luz de aviso no painel de instrumentos

3. Inspecione o motor e a bateria

Não deixe de abrir o capô do carro, para se certificar da idade do veículo. Basta comparar o número do chassis com o do livrete ou certificado de matrícula. E, já agora, espreite o seu estado. Está demasiado limpo? Cuidado, esse esmero de limpeza pode ser para dissimular fugas de óleo ou do carburador. Já se estiver muito sujo, o desleixo pode ser sinal de má conservação.
A bateria de um carro usado é outro ponto-chave a examinar. Verifique a data de validade (em média, a bateria dura 4 anos) e se os bornes estão oxidados, corroídos ou cobertos de pó branco.

4. Faça um teste drive

Se ficou satisfeito com o exterior e interior do veículo, está na hora de o testar na estrada. Não se limite a dar uma mera volta. Conduza o carro durante meia hora, no mínimo. Idealmente, deve efetuar o test drive num circuito diversificado, com retas, curvas, subidas, descidas, piso em terra batida e alcatrão, e a várias velocidades (engrene todas as mudanças!). Fique atento aos ruídos do motor e do interior do carro.

Como saber se a embraiagem está gasta? É fácil. Com o motor ligado e o carro parado, controle a embraiagem. De seguida, puxe o travão de mão a fundo, engate a segunda e levante levemente o pé da embraiagem. O motor deve parar imediatamente. Se assim não for, isso significa que a embraiagem está em fim de vida.

E os amortecedores? É ainda mais simples. Tem apenas que conduzir o veículo numa estrada com piso irregular. Se o carro saltar ou balançar é mau sinal. Significa que os amortecedores estão em mau estado.

Não se esqueça de verificar se a direção está alinhada. Escolha uma estrada plana e sem vento. Quando atingir os 50 Km/h, largue o volante. O carro não deve fugir nem para a direita nem para esquerda.

Por último, teste os travões. Para saber se estão em perfeitas condições de funcionamento, faça várias travagens de emergência. Se o carro não parar imediatamente, cuidado. Ruídos metálicos podem ser sinónimo de pastilhas gastas.

5. Verifique os documentos

Certifique-se de que a viatura tem todos os documentos obrigatórios, como o Documento Único Automóvel (DUA) ou o Registo de Propriedade e o Livrete (se for muito antigo); o certificado de inspeção (se for o caso); e o comprovativo de pagamento do Imposto Único de Circulação (IUC).

Peça ainda para consultar o livro de revisões do carro usado. Se não existir, pode indiciar a falta de manutenção.

 

Ler mais

Mais sobre

Carro e transportes

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?

Torne-se Associado

Saiba mais