Escalões de IRS: sabe qual é o seu?

São os escalões de IRS que determinam o imposto a pagar. Neste artigo explicamos como saber qual é o seu.
Artigo atualizado a 09-08-2022

Atualmente, existem nove escalões de IRS (dois deles foram acrescentados no Orçamento do Estado para 2022).

A cada escalão de IRS corresponde um intervalo de rendimento coletável e duas taxas de imposto, como mostra a tabela abaixo.

EscalãoRendimento coletávelTaxa normal Taxa média
1.º Até 7 116 €14,5%14,50%
2.º De mais de 7 116 € até 10 736 €23%17,37%
3.º De mais de 10 736 € até 15 216 €26,5%20,06%
4.º De mais de 15 216 € até 19 696 €28,521,98%
5.º De mais de 19 696 € até 25 076 €35%24,77%
6.º De mais de 25 076 € até 36 757 €37%28,66%
7.º De mais de 36 757 € até 48 033 €43,5%32,00%
8.º De mais de 48 033 € até 75 009 €45%36,77%
9.º Superior a 75 009 €48%

 

Para saber qual é o seu escalão de IRS, deve calcular o seu rendimento coletável (veja abaixo como se fazem as contas). Depois, basta verificar em qual dos escalões de IRS se enquadra o seu rendimento coletável.

 

Como calcular o rendimento coletável

Passo 1: determinar o rendimento bruto anual

O rendimento bruto anual (antes de impostos e contribuições) calcula-se somando os rendimentos brutos das várias categorias recebidos num ano civil. Não se contabilizam os rendimentos brutos que, por defeito, são tributados por uma taxa liberatória ou especial, a não ser que se pretenda optar pelo seu englobamento, nos casos em que tal é possível.

Englobamento, o que é?

O englobamento é um regime de tributação que consiste em juntar num único “bolo” rendimentos de várias categorias, de modo a que sejam tributados às taxas gerais do IRS (dos escalões de IRS). É obrigatório, por exemplo, para os rendimentos da categoria A (trabalho dependente) e da categoria H (pensões). Já para os rendimentos da categoria E (capitais) e da categoria F (prediais) é opcional.

Passo 2: descontar as deduções específicas

Depois de apurado o rendimento bruto anual, subtraem-se as deduções específicas.

As deduções específicas variam consoante a categoria de rendimento. Por exemplo, no caso dos rendimentos da categoria A aplicam-se as seguintes deduções específicas por cada contribuinte:

  • 4 104 euros, até 37 309,09 euros de rendimento anual bruto. Esta dedução pode ser elevada para 4 275 euros, se houver despesas para ordens profissionais de inscrição obrigatória;
  • Valor das contribuições obrigatórias para a Segurança Social (em regra, 11% sobre o rendimento bruto), acima de 37 309,09 euros de rendimento anual bruto;
  • Total das indemnizações pagas pelo trabalhador por rescisão de contrato de trabalho;
  • Quotizações sindicais (até 1% do rendimento anual bruto, acrescidas em 50%);
  • Prémios de seguro (doença, acidentes pessoais, vida, reforma e invalidez) nas profissões de desgaste rápido, com o limite de 2 194,05 euros.

Subtraídas as deduções específicas aplicáveis, fica concluído o cálculo do rendimento coletável, no caso da tributação separada.

Passo 3: aplicar o quociente famliar

Este passo aplica-se apenas à tributação conjunta. Consiste em dividir por “2” o resultado apurado no passo anterior.

Exemplificando

Para ajudá-lo a identificar o seu escalão de IRS apresentamos dois exemplos: um para tributação separada e outro para a tributação conjunta.

Tributação separada | 20 mil euros brutos em salários

Em 2021, a Patrícia recebeu 20 mil euros brutos em salários (categoria A). Sendo assim, é este valor que corresponde ao seu rendimento bruto anual.

Ao rendimento bruto anual subtraem-se as deduções específicas dos rendimentos da categoria A. No caso da Patrícia, aplica-se apenas a dedução específica de 4 104 euros. Desta forma, obtém-se um rendimento coletável de 15 896 euros.

Segue-se o enquadramento do rendimento coletável da Patrícia num dos escalões de IRS. Neste caso, enquadra-se no quarto escalão de IRS (de mais de 15 216 euros até 19 696 euros).

Tributação conjunta | 37 mil euros em salários

Em 2021, a Carolina e o Francisco receberam em salários (categoria A) 20 mil euros brutos e 17 mil euros brutos, respetivamente. Ou seja, juntos, nesse ano, auferiram um rendimento bruto anual de 37 mil euros.

Ao rendimento bruto anual do casal descontam-se as deduções específicas dos rendimentos da categoria A. Cada elemento tem direito a uma dedução específica de 4 104 euros. Deduzindo-se ambas as deduções específicas (8 208 euros), obtém-se um resultado de 28 792 euros.

Tratando-se de tributação conjunta, falta ainda aplicar o quociente familiar, ou seja, dividir por “2” o resultado anterior, o que perfaz 14 396 euros. Este é o rendimento coletável do casal, que se enquadra no terceiro escalão de IRS (de mais de 10 736 euros até 15 216 euros).

Agora que já sabe qual é o seu escalão de IRS, pode calcular o seu imposto.

Ler mais

Este artigo foi útil?

Se ficou com dúvidas ou tem uma opinião que deseja partilhar, preencha o formulário abaixo para entrar em contacto connosco.