Mestrado ou pós-graduação: qual a melhor opção para si?

Deseja tirar um mestrado ou fazer uma pós-graduação? Saiba qual das opções se adequa às suas expectativas.
Artigo atualizado a 04-02-2022

Para muitos, é o passo seguinte após a conclusão da licenciatura. Outros veem o mestrado ou pós-graduação como um curso para atualizar conhecimentos, subir na carreira e até melhorar a sua rede de networking.

A verdade é que há cada vez mais mais pessoas a procurar aprofundar os conhecimentos em instituições especializadas no ensino superior, e a tendência ajuda ao aumento de inscrições num mestrado ou pós-graduação. Em 2021, de acordo com o portal de estatísticas Pordata, existiam 411 995 alunos matriculados no ensino superior, entre licenciaturas, mestrados, cursos especializados ou doutoramentos. É o número mais alto desde que este indicador é estudado. Ou seja, desde 1991.

Entre os estudantes e profissionais que desejam prosseguir os estudos superiores, uma dúvida coloca-se: devem optar por um mestrado ou por uma pós-graduação?

A escolha depende de vários fatores. Da fase da vida em que cada pessoa se encontra, do futuro profissional que antevê para a sua carreira ou até do tempo e do investimento que tem para completar um destes graus de ensino.

4 questões que deve fazer antes de se inscrever num mestrado ou pós-graduação

Se está a pensar em inscrever-se num mestrado ou numa pós-graduação, deve responder a estas quatro questões:

1.Tem tempo para se dedicar a um curso exigente e que lhe deixará pouco tempo para lazer e convívio?

2.O montante financeiro, provavelmente elevado, que terá de investir terá retorno na sua carreira profissional?

3.O seu empregador, caso já tenha uma situação profissional estável, compreende que poderá ter de conciliar, pontualmente, o trabalho e os estudos?

4.Está preparado para assistir a aulas aos sábados ou após um dia de trabalho?

Mestrado ou pós-graduação: quais as diferenças?

Ambos os cursos têm particularidades que os distinguem. O mestrado assume uma vertente mais académica, normalmente durante dois anos letivos, e permite não só atualizar os seus conhecimentos como também prosseguir uma carreira, em full time ou part time, na academia, como professor.

A pós-graduação, por sua vez, permite aprofundar conhecimentos e competências específicas em determinada área de atividade. Por outras palavras, é uma espécie de curso de especialização, com duração variável consoante a instituição de ensino que escolher.

Mestrado

A Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) explica que existem dois tipos distintos: o mestrado integrado, que surge após uma licenciatura de Bolonha; e o mestrado tradicional, ideal para quem tem uma licenciatura pré-Bolonha e pretende completar o grau seguinte de ensino.

Estas são as principais características de um mestrado:

  • Confere 90 a 120 créditos ECTS (Sistema Europeu de Acumulação e Transferência de Créditos) e tem uma duração normal de 3 a 4 semestres, compostos por um curso de especialização e uma dissertação de natureza científica, que estimula o pensamento crítico e cultural;
  • A inscrição está reservada, habitualmente, a quem fez uma licenciatura, com média mínima de 14 valores. Mas a instituição pode aceitar uma classificação inferior, complementada com uma pós-graduação;
  • É uma boa opção para quem quer prosseguir uma carreira académica ou científica ou até avançar para um doutoramento. Para as empresas ou entras entidades empregadoras, pode ter pouco peso na evolução de uma carreira;
  • O custo de um mestrado pode variar entre os 1 500 euros e os 6 000 euros, dependendo das instituições de ensino, públicas e privadas, pretendidas pelo estudante. As faculdades públicas têm um limite nas propinas que podem cobrar, caso o mestrado seja indispensável para o acesso a uma profissão. Em 2022, este valor situa-se nos 697 euros.

Pós-graduação

De acordo com a DGES, uma pós-graduação é uma especialização mais curta, realizada após uma licenciatura, mas que não confere nenhum grau a quem a completa. É, no entanto, um tipo de formação mais prática, de teor mais profissional que permite adquirir conhecimentos mais aprofundados sobre uma determinada área.

Estas são as principais características de uma pós-graduação:

  • Pode durar um ano ou apenas alguns meses, dependendo da oferta das instituições de ensino. Se a pós-graduação decorrer num ano letivo completo, o estudante obtém 60 créditos ECTS. Se for apenas um semestre, recolhe 30.
  • Apenas pode inscrever-se quem tenha concluído uma licenciatura;
  • Os preços são diversificados, tendo em conta as várias durações e intensidades. Existem pós-graduações que atingem valores superiores aos do mestrado. Um bom exemplo é o MBA, uma pós-graduação centrada em negócios e finanças, que pode custar, em Portugal, mais de 30 mil euros;
  • A pós-graduação é também mais indicada para quem deseja manter-se atualizado na área que escolheu.

Mestrado ou pós-graduação: por qual optar?

Cada caso é um caso e, se possível, coloque de lado a sua idade, experiência profissional ou formação académica quando avaliar, nos pesos da balança, os prós e contras da decisão. Nenhuma destas questões é relevante para a escolha. A resposta a esta pergunta depende, isso sim, do que procura para a sua carreira ou evolução académica.

Uma empresa pode valorizar mais uma pós-graduação (incluindo o MBA), mas as aspirações pessoais devem ditar a escolha entre uma destas hipóteses. Há ainda a questão financeira que cada estudante ou profissional terá num determinado momento.

Certezas, só há uma. Nunca é tarde para aprender novas matérias, sobre a sua área de atividade ou outras, nem deixar de sonhar com uma vida melhor.

Tome nota
Além da vertente académica, tanto o mestrado como a pós-graduação permitem ter acesso a uma rede de profissionais, normalmente professores ou colegas de curso, que poderão aumentar a sua rede de networking. E, quem sabe, ajudá-lo a entrar no mercado de trabalho ou até a mudar de empresa ou área de atividade.

Como obter apoio financeiro para um mestrado ou pós-gradução?

Existem várias possibilidades de ser um terceiro a suportar parte ou todo o investimento financeiro necessário para continuar os estudos. Se já está inserido no mercado de trabalho, saiba que algumas empresas portuguesas têm programas internos nos quais incentivam os colaboradores a inscreverem-se num mestrado ou pós-graduação. É o caso da sua?

Existe também a possibilidade de tentar aceder a uma bolsa de estudos, mas neste caso é necessário comprovar a situação de carência financeira e cumprir a regras definidas pela DGES, que podem ser consultadas aqui.

Uma terceira via pode passar por entidades como fundações ou instituições científicas que, regularmente, concedem bolsas para investigação. A Fundação para a Ciência e Tecnologia disponibiliza regularmente bolsas de estudo, assim como várias universidades privadas portuguesas.

Ler mais

Este artigo foi útil?

Se ficou com dúvidas ou tem uma opinião que deseja partilhar, preencha o formulário abaixo para entrar em contacto connosco.

Torne-se Associado

Saiba mais