4 sugestões para tornar a sua poupança automática

Poupar dinheiro todos os meses, e de forma consistente, é um desafio? Então este artigo é para si.
Artigo atualizado a 02-11-2021

Todos os meses devemos poupar, no mínimo, 10% dos nossos rendimentos. Mas o que fazer quando não existe disciplina para concluir esta tarefa? Tornar a poupança automática pode simplificar bastante este processo. Para ajudá-lo, deixamos alguns exemplos de como poupar sem se dar conta.

Como tornar a poupança automática?

1. Programe a poupança

Para tornar a poupança mais fácil, torne-a automática. Este é o método mais prático para quem não consegue ter a disciplina que a poupança requer. Basta definir um montante mensal para poupar e dar uma ordem ao banco onde tem o seu ordenado domiciliado para que, todos os meses, transfira esse valor para uma poupança definida por si. É simples e não requer esforço da sua parte.

Dica: Programe a poupança aproximadamente dois dias após o salário lhe cair na conta. Desta forma, nem sentirá a falta desse montante na conta bancária.

2. Defina um lembrete para poupar

Se consegue ser regrado com o aforro, seja proativo e transfira todos os meses um valor para a sua poupança. Ao tomar as rédeas da sua poupança, pode transferir mais ou menos dinheiro, consoante as despesas previstas para esse mês. Defina um valor que consiga poupar regularmente, mas nos meses em que estiver mais desafogado, aproveite para aumentar esse montante.

Dica: Esta técnica é para os mais organizados. Para garantir que não se esquece de colocar essa quantia de parte, defina um lembrete no telemóvel.

Através da modalidade mutualista Poupança Complementar pode constituir um pé de meia de acordo com a sua disponibilidade, com entregas programadas que podem ser mensais, trimestrais, semestrais ou anuais.

3. Arredonde as compras

Esta é uma boa forma de tornar a poupança automática. Muitos bancos disponibilizam programas de arredondamento das compras, como forma de incentivar a poupar sem se dar conta. Ao aderir a um programa de arredondamento, cada vez que fizer compras com o cartão de crédito ou débito o valor é arredondado e a diferença é canalizada para uma poupança escolhida por si.

Há no mercado diversas modalidades de arredondamento. Algumas arredondam para o valor unitário superior, outras arredondam o valor para baixo ou para cima e acrescentam a esse remanescente um montante à sua escolha, que pode ser de 5, 10, 15, 20 ou 25 euros.

Dica: Esta pode ser uma boa forma de poupar sem dar por isso. Mas é importante controlar permanentemente a sua situação financeira, uma vez que, por cada compra que realiza, há mais dinheiro a sair da sua conta bancária. É certo que parte desse valor será canalizado para uma poupança, mas passa a ter menos dinheiro disponível à ordem, o que poderá afetar o orçamento familiar.

4. Escolha um cartão de crédito com cashback

Alguns cartões de crédito têm a função de cashback. Ou seja, permitem que os seus utilizadores recebam uma percentagem das compras que fizeram com esse cartão no mês seguinte. Essa percentagem está previamente definida com o banco ou instituição de crédito e permite que poupe sem se dar conta.

No entanto, é necessário ter cuidado com este método de pagamento, uma vez que uma utilização desregulada pode criar uma situação de sobre-endividamento.

Dica: Se optar pelo pagamento integral do saldo em dívida até à data limite de pagamento, previamente definida com a instituição, não terá de pagar juros pela utilização do crédito.

Poupança com capitalização dos juros

Algumas poupanças permitem que haja capitalização de juros, de forma automática ou por iniciativa do cliente. Isto significa que os juros obtidos em cada período são adicionados ao capital inicial, constituindo um novo capital (maior que o inicial), que também vai ser remunerado (juro composto).

 

Ler mais

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?(opcional)

Torne-se Associado

Saiba mais