Seguro ou plano de saúde: conheça as diferenças

Quer garantir o seu bem-estar mas não sabe se deve optar por um seguro ou por um plano de saúde? Conheça as vantagens e desvantagens de cada opção e tome uma decisão mais consciente.
Artigo atualizado a 09-12-2020

Quanto gasta, por ano, em despesas de saúde? Em que situações? Tem filhos ou está nos seus planos vir a ter? Pretende aceder a cuidados médicos de qualidade, a preços competitivos e no imediato? Estas são algumas das questões a que deve saber responder antes de optar por um plano ou um seguro de saúde. As circunstâncias de cada um determinarão a escolha mais acertada, mas há características gerais que importa ter em conta na hora de tomar uma decisão e que lhe apresentamos de seguida.

Seguro de saúde: como funciona

Num seguro de saúde, as apólices são vendidas sob a forma de pacotes pré-definidos, dos mais simples – com um número de coberturas reduzido –, aos mais completos, com um leque de coberturas mais vasto. Os últimos, além de internamento, abrangem consultas de especialidade, estomatologia, óculos, medicamentos e parto. Nestes, além do prémio anual, o cliente paga uma comparticipação ou franquia pelos atos clínicos.

As seguradoras têm vindo a adicionar o acesso a redes de descontos em várias especialidades e, até, em consultas e tratamentos dentários. Por vezes, associam também redes de bem-estar que incluem medicinas alternativas, ginásios ou centros de massagens.

Vantagens

  • Pode optar por pagamento mensal, trimestral ou anual;
  • Pode selecionar o médico que deseja consultar e a unidade hospitalar que pretender: mesmo que a entidade não esteja contemplada no protocolo com a seguradora, poderá ser reembolsado mediante envio de fatura;
  • Ser-lhe-á imputada apenas parte da despesa (franquia ou copagamento): o remanescente é-lhe devolvido ou pago diretamente ao prestador do serviço.

Desvantagens

  • Período de carência. Na maioria dos casos, terá de aguardar 90 dias após a subscrição do seguro para poder usufruir das respetivas comparticipações. Algumas coberturas, como a de parto, têm períodos de carência maiores;
  • O prémio anual – valor pago pelo cliente – aumenta em função da idade;
  • Necessidade de pré-autorização para determinados atos médicos;
  • Existência de plafond de comparticipação para diferentes coberturas: os atos médicos não podem ultrapassar um determinado valor estipulado. Por exemplo, se o plafond de estomatologia for de 250 euros, as comparticipações não podem ser superiores a este valor;
  • Na generalidade, os seguros cessam por limite de idade.

Plano de saúde: como funciona

Ao subscrever um plano de saúde acede a uma rede de profissionais de saúde e unidades hospitalares ou clínicas com descontos entre 10% e 50% face ao preço-base, mediante um prémio anual – o Plano Montepio Saúde constitui uma exceção, pois é totalmente gratuito.

Vantagens

  • Os planos de saúde não têm período de carência: começa a usufruir dos descontos logo após subscrição;
  • Não têm limite de idade;
  • Não é necessário preencher o questionário clínico;
  • Em alguns casos, e mediante um custo adicional, permitem estender o plano a elementos do agregado familiar.

Desvantagens

  • Menor abrangência de serviços incluídos na cobertura;
  • Acesso apenas às unidades de saúde da rede de prestadores associada ao plano de saúde escolhido;
  • Na maioria dos planos de saúde, a rede de prestadores é mais limitada face às redes de seguros, o que é mais evidente fora dos centros urbanos;
  • O pagamento das despesas é sempre feito pelo beneficiário, após o ato clínico.

Critérios a ponderar ao tomar a sua decisão

Antes de optar pela subscrição de um seguro ou de um plano de saúde, é importante verificar o seu comportamento de utilização dos serviços de saúde. Por exemplo, se pretende fazer uma cirurgia, pondera ter filhos ou vai com frequência a consultas de especialidade em unidades privadas, o seguro de saúde pode ser a escolha mais acertada. Ainda assim, deverá certificar-se de que estes atos, ou outros do seu interesse, estão incluídos. Por outro lado, lembre-se que não vale a pena pagar por serviços dos quais nunca beneficiará.

Ao escolher um plano de saúde deverá ter em atenção a rede de prestadores associada, incluindo a sua localização. Porém, é igualmente relevante verificar se as unidades de saúde e os seus clínicos estão incluídos na rede de prestadores do plano de saúde que selecionou. Outro critério de elevada importância é a percentagem média de desconto dos atos clínicos do plano de saúde em análise. Ao analisar os prós e contras financeiros, não se esqueça do custo anual do plano.

Já conhece o seguro e o plano de saúde para associados Montepio?

Agora que já conhece as principais diferenças entre um plano e um seguro de saúde, pode tomar uma decisão informada. Se é Associado Montepio pode, inclusive, usufruir de benefícios muito vantajosos num plano de saúde gratuito e num seguro de saúde cujos descontos na anuidade poderão ascender aos 20%.

Como o Cartão Montepio Saúde, os associados Montepio têm acesso, de forma gratuita, ao Plano Montepio Saúde, sem período de carência ou limite de idade. Através deste plano de saúde, operacionalizado pela AdvanceCare, obterá um desconto médio superior a 30% face às tabelas privadas. CUF, União das Misericórdias Portuguesas e o Grupo HPA Saúde são alguns dos parceiros de referência da Rede de Saúde Montepio, com vantagens adicionais para os associados Montepio.

Se está numa fase da vida em que necessita de uma proteção de saúde mais robusta, o Seguro Montepio Saúde pode ser a opção indicada para si. Com três módulos distintos e exclusivo para associados Montepio, o Seguro Montepio Saúde não tem limite de idade para adesões até aos 60 anos e permite uma permanência até aos 80 anos para os associados que o subscrevam entre os 61 e os 65 anos. Garante, ainda, um desconto de 5%, até a um valor máximo de 20%, para cada membro do agregado familiar.

Ler mais

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?(opcional)

Torne-se Associado

Saiba mais