Como tirar partido do crowdfunding

A economia social pode, e deve, tirar partido do crowdfunding, a angariação de fundos junto da “multidão”. O segredo para um financiamento de sucesso está na apresentação da ideia e na divulgação do projeto.

Crowdfunding, ou financiamento coletivo, é uma forma de angariar fundos para um projeto, ao longo de um período de tempo definido, através de um grupo de pessoas que partilha os mesmos interesses. A estratégia é simples: os projetos são divulgados junto de comunidades e cada indivíduo dá um pequeno apoio. O objetivo? Desenvolver projetos que, de outro modo, dificilmente passariam de meras ideias.

Saiba qual a melhor forma de usar as plataformas de crowdfunding para a sua organização

“O Crowdfunding é a tendência mais relevante na área da solidariedade, não só pela escala mas também porque pode tornar a ajuda humanitária sustentável”, indica o livro Harvard Trends, de Pedro Barbosa. O autor, docente do IPAM-Marketing School, considera que “a revolução digital ajudou a democratizar e a potenciar a microajuda de uma forma nunca antes vista”.

A confiança e a reputação são fatores fundamentais no crowdfunding. Por isso, o movimento ganhou uma nova dimensão com as redes sociais, nas quais os voluntários partilham os projetos através dos seus círculos de amigos e família.

Nova tendência com nova tecnologia

As ações podem passar por grupos de apoio a famílias na rede social Facebook ou por websites de micro projetos de apoio. O crowdfunding beneficia também do desenvolvimento dos meios de pagamento através da Internet, como o MBNet ou o Paypal.

Fernanda Freitas, jornalista e coordenadora nacional do Ano Europeu do Voluntariado em 2011, referiu, em entrevista ao Ei, a importância do crowdfunding:

“É algo que funciona muito nas redes virtuais e que, acima de tudo, pretende ser um movimento viral. Em vez de pedir diretamente dinheiro a uma pessoa ou organização para determinada causa, o que fazemos é ver quanto conseguimos angariar”

Nota: O Ano Europeu do Voluntariado foi instituído em 2011, pelo Conselho da União Europeia, sob o lema “Sê voluntário! Faz a diferença!”. A designação oficial é Ano Europeu das Atividades de Voluntariado que Promovam uma Cidadania Ativa.

Existem algumas organizações que se aproximam de iniciativas de crowdfunding, como a Associação Link ou a Call To Action. Estes consultores em fundraising e marketing para o setor social desenvolvem ações de angariação de fundos para causas sociais, culturais, religiosas, ambientais, de saúde ou educação. As duas organizações promovem ainda workshops sobre fundraising, como é o caso dos seminários Call to Action.

Que plataformas existem?

O lançamento de campanhas de crowdfunding está disponível em diversas plataformas portuguesas. É o caso da PPL, plataforma criada em 2011 e que atualmente já angariou perto de dois milhões de euros.

Criar uma campanha

Escolha um objetivo realista. No crowdfunding, os projetos só avançam se o valor for angariado no tempo previsto

O setor social é o terceiro com mais iniciativas na PPL, a seguir à área de música e livros/revistas. A campanha da associação No Bully Portugal é um dos exemplos de sucesso nesta plataforma portuguesa. A entidade angariou 2 117 euros para financiar um projeto piloto de combate ao bullying numa escola.

Para projetos sociais ou de micro empreendedorismo na cidade de Lisboa, poderá também recorrer à plataforma BoaBoa, lançada em 2016 por iniciativa da autarquia lisboeta.

Tem um projeto à escala global e quer angariar o apoio de pessoas dos vários continentes? As opção mais populares são as plataformas Kickstarter, Indiegogo e GoFundMe.

Lançar um projeto numa plataforma de crowdfunding

Precisa de financiamento para uma iniciativa social e quer recorrer ao crowdfunding? Siga estes passos:

  1. Prepare o projeto
  2. Introduza o projeto na plataforma. Apresente a descrição da iniciativa, os objetivos e as contrapartidas disponíveis, com recurso a vídeos e imagens. Seja conciso e apelativo
  3. Defina o objetivo de financiamento e o tempo necessário para o obter
  4. Divulgue a sua campanha de crowdfunding. Comece pela família e amigos, recorrendo sobretudo às redes sociais para ganhar maior alcance
  5. Receba os contributos através de cartão de crédito ou de débito, transferência, MBNet ou PayPal
  6. Concretize a sua ideia

Os financiadores destes projetos têm uma garantia à partida: no crowdfunding os projetos só avançam se o valor for angariado no tempo previsto.

Ler mais

Saiba mais sobre

Economia social

4

Comentários

Comentários

Como tirar partido do crowdfunding

Comments are closed.

    Boa tarde,
    Sou o inventor de um dispositivo de captação da energia cinética das correntes marítimas e fluviais, destinado à produção de energia elétrica. É um equipamento de alto rendimento na captação da energia. Procuro apoio financeiro para a construção de um protótipo. Podem, por favor, informar-me como poderei obter algum apoio por esta forma de crowdfunding. Agradeço muito o favor de uma resposta e apresento os meus melhores cumprimentos.
    Lino Silva

    Ler Mais

    Caro Lino Silva,
    Agradecemos a sua questão, que mereceu a nossa melhor atenção.

    O crowdfunding é, como o nome indica, uma forma de encontrar financiamento em massa, através da exposição da sua ideia a uma comunidade de pessoas que podem fazer donativos destinados ao seu projeto empreendedor. Sites como o massivemov ou o PPL (mais para ideias artísticas e culturais), dois exemplos nacionais, agregam projetos e ideias de empreendedores e expõem-nos à vontade que cada um sentir de apoiar o desenvolvimento desses projetos.
    O melhor será contactar as redes de crowdfunding e expor a sua ideia ou colocar a esses serviços todas as dúvidas referentes à sua vontade empreendedora.
    Boa sorte!

    Com os melhores cumprimentos,
    Ei – Educação, Informação

    Ler Mais

    Boas tardes,
    Sou inventor e desenhador de novos produtos na área de brinquedos com base em matérias primas ecológicas. O meu projecto passa pela criação e desenvolvimento desses brinquedos com base em materiais 100% ecológicos e 100% recicláveis.
    Dado dispor de insuficientes recursos e poucas empresas a laborar neste ramo em Portugal, os custos de financiamento para arranque deste projecto são bastante elevados para as minhas posses (montante mínimo € 25 000). No entanto, segundo as prospecções que fiz, este género de artigos são de enorme interesse em países com elevada preocupação em brinquedos ecológicos e recicláveis.
    Qual será o(s) melhor(es) sítio(s) na internet para captar este tipo de investimento?
    Grato pela atenção.

    Joaquim T.

    Ler Mais

    Caro Joaquim Tojeiro,
    Agradecemos a sua questão, que mereceu a nossa melhor atenção.
    Existem muitas plataformas na internet de financiamento colaborativo ou crowdfunding. Muitas estão alinhadas para projetos de determinados segmentos de mercado, como cultura, e outras são mais generalistas. Em Portugal, e para dar apenas alguns exemplos, a PPL e a Massivemob, são duas plataformas que permitem a exposição e o intercâmbio entre quem precisa de financiamento para os seus projetos e quem está disponível para ajudar a desenvolvê-los através de suporte monetário.
    Com os melhores cumprimentos,
    Ei – Educação, Informação

    Ler Mais