< Voltar à página de Impostos

Tabela de IRS para 2020: conheça os novos escalões de rendimento coletável

Os escalões de rendimento coletável da tabela de IRS para 2020 sofreram alguns ajustes. Saiba o que mudou e se vai pagar mais ou menos imposto.
Em 2018, a tabela de IRS terá sete escalões, mais dois do que atualmente.

Os limites dos escalões de rendimento coletável da tabela de IRS foram atualizados em 0,3% – um valor que corresponde à taxa de inflação verificada até novembro de 2019 e que acompanha a atualização dos salários na Função Pública. O número de escalões e as respetivas taxas mantiveram-se.

Quais as consequências da atualização dos escalões em 0,3%? Alguns contribuintes pagarão um pouco mais de IRS. Esse será o caso de quem, no IRS de 2019, a entregar em 2020, se situar muito próximo do limite superior do escalão em que ficar enquadrado e que, este ano, veja o seu salário ou pensão aumentar mais de 0,3%, subindo assim de escalão. Dessa forma, o rendimento a mais será tributado a uma taxa mais alta. Já quem não for aumentado em 2020, pagará um pouco menos de IRS (ver casos práticos abaixo).

Escalões de rendimento coletável da tabela de IRS para 2020

Estes são os escalões de rendimento coletável a vigorar em 2020:

Tabela de IRS para 2020
EscalãoRendimento coletávelRendimento coletável que cabe em cada escalãoTaxa normal
1.ºAté 7 112 €7 112 €14,5%
2.ºDe mais de 7 112 € até 10 732€3 620 €23%
3.ºDe mais de 10 732 € até 20 322 €9 590 €28,5%
4.ºDe mais de 20 322 € até 25 075 €4 753 €35%
5.ºDe mais de 25 075 € até 36 967 €11 892 € 37%
6.ºDe mais de 36 967 € até 80 882 €43 915 €45%
7.ºMais de 80 882 €48%

O que é o rendimento coletável?

É o rendimento coletável que determina a taxa de IRS a aplicar, correspondendo ao rendimento bruto anual subtraído das chamadas deduções específicas.

Cada categoria de rendimento tem as suas próprias deduções específicas. Por exemplo, aos rendimentos das categorias A (trabalho dependente) e H (pensões) descontam-se as seguintes deduções específicas:

  • 4 104 euros ou o valor das contribuições efetuadas para a Segurança Social, se for superior a 4 104 euros;
  • Indemnizações pagas pelo trabalhador por rescisão unilateral do contrato de trabalho sem aviso prévio;
  • Quotas para sindicatos, até 1% do rendimento bruto, acrescidas de 50%.

Caso se esteja perante um casal que opte pela tributação conjunta, o rendimento coletável desse agregado familiar obtém-se somando os rendimentos coletáveis dos cônjuges e depois dividindo o resultado por dois.

Casos práticos

Caso 1

Solteiro, sem filhos, trabalhador dependente, com um rendimento bruto de 21 000 euros em 2019 e 2020.

IRS de 2019 (a entregar em 2020):

Rendimento bruto: 21 000 euros
Dedução específica: 4 104 euros
Rendimento coletável: 16 896 euros (21 000 euros – 4 104 euros)
Taxa normal de IRS: 28,5%
IRS antes de deduções à coleta: 3 624,13 euros
Deduções à coleta: 0,00 euros
IRS final: 3 624,13 euros

IRS de 2020 (a entregar em 2021):

Rendimento bruto: 21 000 euros
Dedução específica: 4 104 euros
Rendimento coletável: 16 896 euros (21 000 euros – 4 104 euros)
Taxa normal de IRS: 28,5%
IRS antes de deduções à coleta: 3 620,56 euros
Deduções à coleta: 0,00 euros
IRS final: 3 620,56 euros (menos 3,57 euros face a 2019)

Caso 2

Cônjuges, sem filhos, ambos trabalhadores dependentes, com um rendimento bruto conjunto de 48 700 euros em 2019 e de 49 333,1 euros (atualização de 1,3%) em 2020.

IRS de 2019 (a entregar em 2020):

Rendimento bruto cônjuge 1: 28 700 euros
Rendimento bruto cônjuge 2: 20 000 euros
Dedução específica cônjuge 1: 4 104 euros
Dedução específica cônjuge 2:  4 104 euros
Rendimento coletável cônjuge 1: 24 596 euros (28 700 euros –  4 104 euros)
Rendimento coletável cônjuge 2: 15 896 euros (20 000 euros – 4 104 euros)
Rendimento coletável casal: 20 246 euros (24 596 euros + 15 896 euros : 2)
Taxa normal de IRS: 28,5%
IRS antes de deduções à coleta: 9 157 euros
Deduções à coleta: 0,00 euros
IRS final: 9 157 euros

IRS de 2020 (a entregar em 2021):

Rendimento bruto cônjuge 1: 29 073,1 euros
Rendimento bruto cônjuge 2: 20 260 euros
Dedução específica cônjuge 1: 4 104 euros
Dedução específica cônjuge 2:  4 104 euros
Rendimento coletável cônjuge 1: 24 969,1 euros (29 073,1 euros –  4 104 euros)
Rendimento coletável cônjuge 2: 16 156 euros (20 260 euros – 4 104 euros)
Rendimento coletável casal: 20 562,55 euros (24 969,1euros +16 156 euros : 2)
Taxa normal de IRS: 35%
IRS antes de deduções à coleta: 9 362,51 euros
Deduções à coleta: 0,00 euros
IRS final: 9 362,51 euros (mais 205,51 euros face a 2019)

 

Simule o seu caso com a calculadora da consultora pwc. Se preferir fazer as contas à mão, conheça vários métodos para calcular o IRS.

Ler mais

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?

Torne-se Associado

Saiba mais