< Voltar à página de Impostos

Tabela de IRS para 2020: conheça os novos escalões de rendimento coletável

A proposta de Orçamento do Estado para 2020 prevê uma atualização dos limiares superiores dos escalões de rendimento coletável da tabela de IRS. Saiba se vai saltar de escalão e pagar mais imposto.
Em 2018, a tabela de IRS terá sete escalões, mais dois do que atualmente.

Os limiares superiores dos escalões de rendimento coletável da tabela de IRS devem ser atualizados em 0,3% (ver tabela abaixo). O valor proposto pelo Governo corresponde à taxa de inflação verificada até novembro de 2019, em vez da taxa de inflação esperada para 2020 (o ano a que respeita o imposto), de entre 1,2% e 1,4%, como tem sido regra até aqui.

A confirmar-se a referida atualização, alguns contribuintes pagarão um pouco mais de IRS. Esse será o caso de quem, no IRS de 2019, a entregar em 2020, se situar próximo do limiar superior do escalão em que ficar enquadrado e que, este ano, veja o seu salário ou pensão aumentar mais de 0,3% (veja as simulações abaixo).

Novos escalões de rendimento coletável da tabela de IRS

Caso a atualização de 0,3% seja aprovada pelo Parlamento, estes serão os escalões de rendimento coletável a vigorar em 2020:

 

Tabela de IRS para 2020
EscalãoRendimento coletávelRendimento coletável que cabe em cada escalãoTaxa normal
1.ºAté 7 112 €7 112 €14,5%
2.ºDe mais de 7 112 € até 10 732€3 620 €23%
3.ºDe mais de 10 732 € até 20 322 €9 590 €28,5%
4.ºDe mais de 20 322 € até 25 075 €4 753 €35%
5.ºDe mais de 25 075 € até 36 967 €11 892 € 37%
6.ºDe mais de 36 967 € até 80 882 €43 915 €45%
7.ºMais de 80 882 €48%

O que é o rendimento coletável?

É o rendimento coletável que determina a taxa de IRS a aplicar, correspondendo ao rendimento bruto anual subtraído das chamadas deduções específicas.

Cada categoria de rendimento tem as suas próprias deduções específicas. Por exemplo, aos rendimentos das categorias A (trabalho dependente) e H (pensões) descontam-se as seguintes deduções específicas:

  • 4 104 euros ou o valor das contribuições efetuadas para a Segurança Social, se for superior a 4 104 euros;
  • Indemnizações pagas pelo trabalhador por rescisão unilateral do contrato de trabalho sem aviso prévio;
  • Quotas para sindicatos, até 1% do rendimento bruto, acrescidas de 50%.

Caso se esteja perante um casal que opte pela tributação conjunta, o rendimento coletável desse agregado familiar obtém-se somando os rendimentos coletáveis dos cônjuges e depois dividindo o resultado por dois.

Casos práticos

Caso 1

Solteiro, sem filhos, trabalhador dependente, com um rendimento bruto de 21 000 euros em 2019 e 2020.

IRS de 2019 (a entregar em 2020):

Rendimento bruto: 21 000 euros
Dedução específica: 4 104 euros
Rendimento coletável: 16 896 euros (21 000 euros – 4 104 euros)
Taxa normal de IRS: 28,5%
IRS antes de deduções à coleta: 3 624,13 euros
Deduções à coleta: 0,00 euros
IRS final: 3 624,13 euros

IRS de 2020 (a entregar em 2021):

Rendimento bruto: 21 000 euros
Dedução específica: 4 104 euros
Rendimento coletável: 16 896 euros (21 000 euros – 4 104 euros)
Taxa normal de IRS: 28,5%
IRS antes de deduções à coleta: 3 620,56 euros
Deduções à coleta: 0,00 euros
IRS final: 3 620,56 euros (menos 3,57 euros face a 2019)

Caso 2

Cônjuges, sem filhos, ambos trabalhadores dependentes, com um rendimento bruto conjunto de 48 700 euros em 2019 e de 49 333,1 euros (atualização de 1,3%) em 2020.

IRS de 2019 (a entregar em 2020):

Rendimento bruto cônjuge 1: 28 700 euros
Rendimento bruto cônjuge 2: 20 000 euros
Dedução específica cônjuge 1: 4 104 euros
Dedução específica cônjuge 2: 4 104 euros
Rendimento coletável cônjuge 1: 24 596 euros (28 700 euros –  4 104 euros)
Rendimento coletável cônjuge 2: 15 896 euros (20 000 euros – 4 104 euros)
Rendimento coletável casal: 20 246 euros (24 596 euros + 15 896 euros : 2)
Taxa normal de IRS: 28,5%
IRS antes de deduções à coleta: 9 157 euros
Deduções à coleta: 0,00 euros
IRS final: 9 157 euros

IRS de 2020 (a entregar em 2021):

Rendimento bruto cônjuge 1: 29 073,1 euros
Rendimento bruto cônjuge 2: 20 260 euros
Dedução específica cônjuge 1: 4 104 euros
Dedução específica cônjuge 2: 4 104 euros
Rendimento coletável cônjuge 1: 24 969,1 euros (29 073,1 euros –  4 104 euros)
Rendimento coletável cônjuge 2: 16 156 euros (20 260 euros – 4 104 euros)
Rendimento coletável casal: 20 562,55 euros (24 969,1euros +16 156 euros : 2)
Taxa normal de IRS: 35%
IRS antes de deduções à coleta: 9 362,51 euros
Deduções à coleta: 0,00 euros
IRS final: 9 362,51 euros (mais 205,51 euros face a 2019)

 

Simule o seu caso com a calculadora da consultora pwc. Se preferir fazer as contas à mão, conheça vários métodos para calcular o IRS.

Ler mais

Torne-se Associado

Saiba mais