8 dicas que ajudam a garantir o futuro dos filhos

Poupar, investir e prevenir são três conceitos essenciais para passar aos seus filhos. Saiba como poderá ensiná-los e, assim, garantir que tenham um futuro próspero.
Artigo atualizado a 17-05-2023
×

Torne o seu filho Associado

Clique aqui

Se tem filhos pequenos provavelmente já pensou em como poderá ajudá-los a prepararem-se financeiramente para o futuro. Neste campo, há muitos aspetos que os pais devem considerar para assegurar o futuro dos filhos e guiá-los no caminho certo.

Fazer um pé-de-meia, assegurar estabilidade em caso de imprevisto e incutir-lhes algumas bases de gestão do orçamento são passos importantes para a sua educação financeira. Conheça oito dicas para assegurar um futuro financeiramente risonho para as crianças.

1. Faça uma poupança

Uma poupança mutualista é uma forma de juntar dinheiro para o futuro dos filhos. Esta poupança poderá ter vários fins, desde pagar os estudos universitários, ajudar a comprar casa ou a enfrentar os primeiros anos de trabalho com baixos rendimentos. A Poupança Complementar Jovem, por exemplo, permite reforços a qualquer altura. Pode estipular um valor para transferir todos os meses, para “engordar” a conta sem esforço e ainda beneficiar dos juros pagos.

2. Aproveite para ensiná-los a poupar…

A gestão da conta poupança é também uma oportunidade para ensiná-los a gerir o dinheiro e incutir-lhes algumas bases de poupança. Quando já tiverem algumas noções de matemática, comece a envolvê-los no processo. Em conjunto com as crianças, registe numa folha de papel cada depósito que fazem e peça-lhes para fazerem a soma e verificarem o resultado. É importante para perceberem que, com pequenos depósitos, poderão amealhar uma boa quantia para o futuro.

3. …e ensinar como funcionam os juros

Quando as crianças tiverem entendido o conceito de aforro, pode aproveitar para falar sobre a importância dos juros nas poupanças. De forma simples, explique aos seus filhos que os juros são uma recompensa que o banco lhes atribui por terem o dinheiro guardado nos seus cofres. Se já tiverem idade para compreender, pode mostrar-lhes o extrato bancário e quanto ganham, por um determinado período, em juros. Quando tiverem apreendido este conceito pode passar para outro mais complexo: os juros compostos. Explique que o dinheiro que o banco lhes paga será adicionado ao montante que já têm no banco e investido automaticamente no período seguinte, fazendo com que o montante investido seja mais elevado. Consequentemente, o dinheiro que irá receber no período seguinte por juros será maior.

4. Fale com as crianças sobre dinheiro

O dinheiro não deve ser um assunto tabu na família. Se conversar abertamente sobre o assunto com os seus filhos, mas facilmente estes desenvolvem uma relação saudável com o dinheiro. É importante falar sobre o rendimento dos pais, onde gastam o dinheiro e explicar como gerem o orçamento familiar. Ao serem transparentes sobre estes assuntos, será mais fácil as crianças valorizarem o dinheiro e aprenderem a usá-lo com sabedoria.

5. Atribua uma mesada ou semanada

Por volta dos cinco ou seis anos, consoante a maturidade das crianças, poderá atribuir uma semanada aos seus filhos, de acordo com a ASFAC – Associação de Instituições de Crédito Especializado. É nesta altura que deverá começar a incentivá-los a estabelecerem pequenos objetivos e a poupar dinheiro para cumpri-los. Mais tarde, por volta dos 10 ou 11 anos, pode passar para a mesada. Incentive-os a fazerem um orçamento para gerir a sua mesada, definir onde vão gastar o dinheiro (lazer ou vestuário, por exemplo) e estabelecerem uma parte para poupar.

6. Envolva-os no orçamento familiar

É importante que os seus filhos participem em algumas decisões financeiras da família, relacionadas com o orçamento familiar. Por exemplo, se decidem fazer uma viagem à Eurodisney, podem juntar a família para elaborar o orçamento das férias. Ao analisar em conjunto o orçamento familiar, mais facilmente descobrem onde podem economizar. É uma forma de lhes ensinar que a viagem não é gratuita e que, às vezes, é preciso fazer sacrifícios para concretizar os objetivos.

7. Faça um fundo de emergência

Um fundo de emergência é uma forma de proteger a estabilidade da família, caso aconteça um imprevisto que impeça os pais de obter rendimentos durante determinado período de tempo. Como, por exemplo, o desemprego prolongado ou um acidente que os obrigue a deixar de trabalhar por algum tempo. O fundo de emergência deve ter, no mínimo, o equivalente a seis meses de despesas fixas. Deve, ainda, ser aplicado num produto que possa ser mobilizado a qualquer altura. Deste modo, num momento de maior dificuldade financeira, não será necessário alocar dinheiro das poupanças para a gestão diária.

8. Proteja o futuro dos filhos

Quem tem filhos já pensou, em algum momento, no que acontecerá à família se um dos pais falecer ou ficar inválido. Uma forma de garantir que o estilo de vida dos seus descendentes não fica comprometido por uma perda familiar é subscrever um seguro de vida que salvaguarde o futuro dos filhos em caso de doença grave, invalidez ou morte de um dos progenitores. As modalidades mutualistas de proteção disponibilizadas pelo Montepio Associação Mutualista são uma boa opção para assegurar o futuro financeiro dos filhos em caso de infortúnio, como o falecimento de um dos pais ou um acidente que ponha em causa os rendimentos.

Ler mais

Mais sobre

Família , Poupança

Este artigo foi útil?

Se ficou com dúvidas ou tem uma opinião que deseja partilhar, preencha o formulário abaixo para entrar em contacto connosco.
  • Campanha exclusiva

    Faça como o Fernando Daniel

    Torne o seu filho Associado com uma modalidade de Poupança ou Proteção e oferecemos a quota mensal, no valor de 2€, por um prazo máximo de 24 meses = 48€ de poupança, além de muitas outras vantagens.

    Tornar Associado

É tempo de compor o futuro e ganhar o presente

A carreira de Fernando Daniel é a prova de que tudo o que fazemos no presente pode mudar o nosso futuro e o da nossa família.
Por isso, quando chegou o momento de iniciar uma poupança para a filha, Fernando Daniel confiou no Montepio Associação Mutualista.

Faça como o Fernando Daniel, torne o seu filho Associado (Joia de Admissão: 9€ + Quota Mensal: 2€*),
subscreva uma modalidade de Poupança ou Proteção e conheça as muitas vantagens.

OFERTA ESPECIAL

Até 30 de setembro 2023, ao tornar o seu filho Associado e ao subscrever uma modalidade de Poupança, como a Poupança Complementar Jovem, ou Proteção, oferecemos a quota associativa mensal, no valor de 2€, por um prazo máximo de 24 meses = 48€ de poupança*, além de bilhetes para concertos, festivais e muitas outras vantagens. A oferta da quota mensal termina ao atingir o limite que primeiro ocorrer: o prazo de 24 meses ou a idade de 18 anos.

Não é necessária abertura de nova conta bancária, podendo ser indicada uma já existente, titulada pelo/s Representante/s Legal/ais da criança/jovem.

Crianças e Jovens

Conheça os Termos e Condições desta campanha e as condições de utilização das ofertas. Oferta limitada a uma por Associado, independentemente do número de modalidades subscritas, ao stock existente e à disponibilidade a cada momento.

Fernando Daniel, Carlão e Carolina Deslandes

Concerto de Aniversário

1 bilhete duplo para o concerto de aniversário do Montepio Associação Mutualista a 4 de outubro, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa (21h45), ou a 6 de outubro, no Coliseu do Porto (21h30)*

Concerto Fernando Daniel

1 bilhete duplo para o concerto de 14 de outubro, no Altice Arena, Lisboa ou de 11 de novembro, no Super Bock Arena, no Porto.*

Zoo de Lisboa - Montepio Associação Mutualista

Zoo de Lisboa

1 bilhete. Válido até 1 de agosto de 2024

wook parceiro mgam

Wook

10 euros em vale digital , para compra de artigos disponíveis em www.wook.pt, exceto manuais escolares, cadernos de atividades e bilheteira. Válido até 31 de outubro 2023

Sea Life Porto

1 bilhete de criança (3-12 anos) na compra de um bilhete de adulto.Válido até 31 de março 
de 2024

Dino Parque Lourinhã

1 bilhete de criança (4-12 anos) na compra de um bilhete de adulto.
Válido até 30 de junho 
de 2024

*Oferta pessoal e intransmissível, limitada ao stock existente, à disponibilidade a cada momento e a uma por Associado. Os bilhetes serão enviados para o endereço de e-mail indicado na admissão, até duas semanas antes da data dos concertos.

Sugestão para começar a poupar

A modalidade Montepio Poupança Complementar Jovem cresce com os seus filhos e prepara-os para uma vida mais desafogada quando chegarem à idade adulta.

Com um valor mínimo de constituição de 100€, esta poupança permite reforços pontuais ou programados, com total flexibilidade de reembolso*. E ao rendimento mínimo acrescerá o rendimento complementar anual que venha a ser aprovado, em sede Assembleia de Representantes, as chamadas melhorias.

* Possibilidade de reembolsar entregas com mais de 5 anos sem penalização no rendimento. No reembolso de entregas com 5 ou menos anos, não haverá penalização se o motivo se enquadrar nas exceções previstas.

Assista aqui ao vídeo de campanha

O que tenho de fazer?

Para usufruir desta ação promocional, torne o seu filho Associado e subscreva, em nome da criança, uma modalidade de Poupança – como a Poupança Complementar Jovem – ou Proteção. O processo de Admissão e Subscrição está disponível neste site, na Rede de Gestores Mutualistas, aos balcões do Banco Montepio ou através da Linha de Apoio ao Associado – Tel. 213 248 112 (custo de chamada para a rede fixa nacional), com atendimento personalizado nos dias úteis, das 9h00 às 21h00.

Como recebo a minha oferta?

Concluído o processo de Admissão e Subscrição de modalidade, o Montepio Associação Mutualista enviará a oferta promocional para o endereço eletrónico que venha a ser indicado pelos representantes legais do candidato a Associado ou para o balcão do Banco Montepio.

Perguntas frequentes

  1. A quem se destina a modalidade Poupança Complementar Jovem?

  2. Esta modalidade é exclusiva para associados Montepio menores de 18 anos.

  3. Qual é o valor mínimo de subscrição?

  4. Pode começar a poupar a partir de 100 euros.

  5. Posso reforçar a poupança do meu filho sempre que quiser?

  6. Sim. Pode fazer entregas livres em qualquer altura, a partir de 20€, ou entregas periódicas (por mês, trimestre, semestre ou ano) de montantes entre os 10€ e os 100€.

  7. Qual o prazo desta poupança?

  8. Não existe prazo. No entanto, assim que o jovem completa 18 anos passa a ser responsável pela movimentação da modalidade.

  9. Qual o rendimento desta poupança?

  10. Esta poupança tem rendimento mínimo anual, que se calcula ao deduzir 0,6 pontos percentuais à taxa de juro definida pelo Banco Central Europeu (Refi), ao qual se soma um rendimento complementar definido pela Assembleia de Representantes. Em 2023, o rendimento complementar desta modalidade foi de 0,8%, o que se traduziu numa rendibilidade global anual de 1,1%

  11. Existe facilidade de reembolso?

  12. Sim. A Poupança pode ser reembolsada total ou parcialmente (neste caso, o saldo mínimo é de 100€). O reembolso de entregas com 5 ou menos anos é penalizado em 5%, a deduzir ao rendimento. Ou seja, no limite, o Associado perde apenas o rendimento gerado pela entrega reembolsada.

  13. Em que situações existe reembolso sem penalização?

  14. Em situações de desemprego de longa duração ou incapacidade permanente; por morte do Associado, do seu progenitor ou representante legal. Não existe penalização, ainda, na construção ou aquisição de habitação própria e permanente do subscritor, na constituição de uma renda temporária ou vitalícia no Montepio Associação Mutualista ou na liberação das suas modalidades de proteção.

  15. O meu filho quer ser sócio do Clube Pelicas? O que tem de fazer?

  16. Nada. Todos os associados Montepio entre os 0 e os 10 anos, inclusive, são sócios do Clube Pelicas. Basta, por isso, tornar o seu filho Associado.

  17. Ser sócio do Clube Pelicas tem algum custo extra?

  18. Não.

  19. Quais as vantagens de pertencer ao Clube Pelicas?

  20. Os sócios do Clube Pelicas têm descontos e ofertas em brincadeiras e desportos proporcionados pelos parceiros do clube. Por exemplo, não pagam bilhete no Zoo de Lisboa, desde que acompanhados por um adulto pagante. Podem ainda participar em iniciativas originais, receber newsletters com ideias e sugestões para brincar e participar em ateliês e workshops, a preços exclusivos, nas férias do Natal, da Páscoa e de Verão. Saiba mais no site do Clube Pelicas.