Interativo Quanto preciso para atingir a independência financeira?

Mude os campos sublinhados para descobrir quanto tem de poupar para poder deixar de trabalhar por necessidade.
Artigo atualizado a 18-08-2021
Independência Financeira

Pouco antes de celebrar o seu trigésimo aniversário, em 1969, Joe Dominguez, um analista financeiro de Wall Street, declarou a sua independência financeira: tinha poupado o suficiente para não ser obrigado a trabalhar para viver. Reformou-se e, numa das suas viagens, cruzou-se com Vicki Robin. Juntos, traçaram uma filosofia de vida que difundiram pelas comunidades por onde passavam: como viver melhor e gastar menos.

Em 1992, Dominguez e Robin publicaram o livro O Dinheiro ou a vida: 9 passos para transformar a sua relação com o dinheiro e atingir a independência financeira. O sucesso do livro colocou-os na liderança de um movimento que se propagou por todo o mundo: a independência financeira e a reforma antecipada (IFRA). A ideia é que, através da poupança e de um estilo de vida económico, as pessoas acumulem um montante suficiente para deixarem de trabalhar, se quiserem.

O número mais importante: 4%

Seis anos após a publicação de O dinheiro ou a vida, Philip Cooley, Carl Hubbard e Daniel Walz, professores na Universidade de Trinity, em San Antonio, nos Estados Unidos da América, publicaram uma investigação que procurou identificar a poupança necessária para as pessoas poderem deixar de trabalhar.

O Estudo de Trinity, como ficou conhecido, concluiu que um aforrador tem um património suficiente para se reformar quando 4% da poupança é suficiente para cobrir as suas despesas anuais. Visto noutro prisma: o património é suficiente quando é equivalente a 25 vezes as despesas anuais (o inverso de 4%) ou quando a soma é igual a 300 vezes os encargos mensais (25 × 12 meses).

Quanto tem de poupar para alcançar a independência financeira?

Assim, se gasta euros por mês (12 000 euros por ano), deverá apontar para um património de 300 000 euros antes de declarar a independência financeira.

Cooley, Hubbard e Walz avisaram que a taxa segura de resgate não deve ser uma percentagem igual para toda a gente. Por exemplo, os aforradores mais conservadores — aqueles que não investem para o longo prazo em instrumentos mais rentáveis, como os expostos aos mercados acionistas — devem considerar taxas seguras de resgate inferiores a 4%; os investidores mais agressivos podem aumentar ligeiramente esse barómetro. Se tiver como meta uma taxa segura de resgate de %, poupe até reunir 400 000 euros, assumindo as mesmas despesas mensais de 1 000 euros.

Como chegar até essa poupança? Se começar agora com euros amealhados, terá de poupar mensalmente 413,22 euros durante anos para reunir esses 400 000 euros, assumindo que alcança uma rentabilidade anual de % nos seus investimentos.

Note, no entanto, que a taxa segura de resgate do Estudo de Trinity não é infalível. É necessário manter-se atento à evolução do seu património para garantir que está no caminho certo para a independência financeira.

Poupe ao seu ritmo

Atingir a independência financeira não é para todos, mas não há mal nenhum nisso: todos temos os nossos padrões de poupança e estratégias para preparar o nosso futuro. A modalidade Poupança Reforma apresenta um histórico de valorização acima da taxa de inflação e permite-lhe poupar ao seu ritmo. E se ainda não é Associado da Associação Mutualista Montepio, aproveite para fazer parte da maior associação portuguesa e usufruir dos benefícios e descontos disponíveis em mais de 1 200 parceiros.

Ler mais

Mais sobre

Poupança , Reforma

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?(opcional)

Torne-se Associado

Saiba mais