Tem dúvidas sobre as vantagens dos seguros?

Neste artigo, explicamos como surgiram os seguros e os benefícios destes produtos financeiros.

Começaram por proteger mercadores nas rotas comerciais. Mas hoje estão nas várias dimensões da vida familiar que envolvam riscos. Os seguros permitem maior segurança e proteção no bem-estar, no futuro e no património.

Os seguros são uma arma contra a insegurança e uma forma de proteger pessoas, bens, poupanças e até animais, de acontecimentos que os ameacem.

O que são os seguros?

Os seguros, como o nome indica, são uma arma contra a insegurança e uma forma de proteger pessoas, bens, poupanças e até animais, de acontecimentos que os ameacem. Na prática, um seguro é um contrato celebrado entre duas partes, o segurador e o segurado, através do qual o segurador é obrigado a indemnizar o segurado no caso de ocorrer um sinistro, em troca do pagamento regular de um prémio calculado segundo o perfil e o risco associados à proteção.

Como surgiram?

A história anda de braço dado com a origem destes produtos financeiros. Os seguros nasceram há muitos séculos. Resultaram da necessidade de controlar o risco das trocas comerciais em áreas geográficas do Médio Oriente e da China. Zonas que, nessa fase, experimentavam o rápido aprofundamento do comércio. As consequências das variações climáticas tinham um impacto muito grande na vida das pessoas, pelo que havia necessidade de garantir o sustento e a segurança. Foi a partir deste principio que nasceram os seguros. O seu grande impulso foi dado na época do mercantilismo, com os navegadores a realizarem seguros marítimos antes das expedições.

Hoje, estes produtos financeiros envolvem todo o ciclo de vida dos particulares e das empresas, com proteções que se foram alargando e que permitem, hoje, uma elevada segurança face ao imprevisto.

Que tipos existem?

Os seguros dividem-se em dois ramos: vida e não vida. O ramo vida engloba os seguros financeiros, como é o caso dos seguros de capitalização, os planos de poupança reforma (PPR) e os seguros de vida.

Já o ramo não vida agrega todos os seguros que englobam bens patrimoniais e riscos pessoais. Neste ramo, entram seguros como Automóvel, Habitação, Acidentes de Trabalho, Saúde, Viagem e de Acidentes Pessoais, entre outros.

O que influencia o prémio?

Em relação aos prémios de seguro, diferem de pessoa para pessoa. O valor a pagar regularmente (mensal, trimestral, semestral ou anualmente) é calculado mediante o sexo, a idade e muitas outras informações que definem o perfil de risco do segurado. Num seguro automóvel, por exemplo, o histórico de acidentes é relevante para o cálculo do prémio. Já num seguro de saúde a idade e o facto se o segurado ser portador de uma determinada doença também podem contribuir para fazer variar o preço a pagar pela proteção.

Quais são os mais comuns?

Por obrigação ou necessidade, conheça três tipos de seguros muito frequentes:

Responsabilidade Civil Automóvel. Cobrem os prejuízos causados a terceiros. Podem ainda cobrir outros itens. Por exemplo, perdas e danos ocorridos no seu automóvel, na sequência de situações de colisão, incêndio e roubo, acidentes pessoais de passageiros ou reposição do automóvel em caso de acidente.

Vida. Garantem ao beneficiário um valor a receber em caso de morte ou doença terminal do segurado. Também podem cobrir situações de invalidez permanente.

Saúde. Beneficiam o segurado nos tratamentos médicos e hospitalares a que for sujeito, garantindo-lhe o reembolso das despesas dentro dos termos que assinou na sua apólice ou o acesso a uma rede de prestadores a preços convencionados.

Ler mais

Saiba mais sobre

Seguros

0

Comentários

Comentários

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.