< Voltar à página de Apoios e Benefícios

Que programas de financiamento à economia social existem?

Precisa de financiamento para a sua entidade? Descubra os principais programas de financiamento à economia social em Portugal.

Encontrar financiamento para a sua organização da economia social é essencial para conseguir capacitação interna e a tão necessária sustentabilidade. Contudo, muitos dos mecanismos de financiamento existentes aplicam-se apenas a empresas e outras entidades com fins lucrativos, deixando de parte a economia social. Para contrariar essa tendência, existem em Portugal programas de financiamento à economia social. Fique a saber quais as entidades os promovem e como se candidatar. Tome nota destes cinco programas de financiamento à economia social:

5 programas de financiamento à economia social

1. Programa Social Investe  

Trata-se de uma linha de crédito concedida por instituições bancárias em protocolo com a Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES) e com o Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP). Com taxa de juro e comissão de garantia bonificadas, esta iniciativa é dirigida especificamente às organizações deste setor.

Tenha em atenção, no entanto, que nem todas as operações são elegíveis. No Eixo I, pode beneficiar de crédito até 100 mil euros para “reforço da atividade em áreas existentes ou em novas áreas de intervenção e modernização dos serviços prestados às comunidades”. Já o Eixo II é dedicado à modernização da gestão e reforço da tesouraria, até um máximo de 75 mil euros.

Como é que se pode candidatar?

O primeiro passo é contactar a CASES de forma a obter uma declaração de qualidade. Só com esse documento poderá começar o processo de candidatura junto da instituição bancária. Saiba aqui mais informações sobre este programa de financiamento à economia social.

2. Capacitação para o Investimento Social

É mais um programa de financiamento à economia social. Este instrumento de financiamento insere-se no âmbito da iniciativa Portugal Inovação Social, integrada no programa de fundos comunitários Portugal 2020. Aqui o objetivo é apoiar Iniciativas de Inovação e Empreendedorismo Social (IIES) no reforço das respetivas capacidades organizativas e competências de gestão.

Quanto aos valores, o financiamento à economia social vai até a um máximo de 50 mil euros por projeto. Esta verba não-reembolsável serve para apoiar um primeiro diagnóstico de necessidades de capacitação, seguido de até cinco intervenções em áreas como gestão financeira ou liderança, entre outras.

Como é que se pode candidatar?

As candidaturas funcionam em períodos específicos. Pode consultá-las na página oficial deste instrumento.

3. Parcerias para o Impacto


Tem em vista uma parceria com um investidor para desenvolver a sua organização? Nesse caso, tire partido deste instrumento de financiamento à economia social, também do Portugal Inovação Social.

Esta iniciativa financia planos de desenvolvimento para IIES aumentarem a sua dimensão e impacto. Deverá ter sempre um apoio já assegurado de um ou mais investidores (privados, públicos ou mesmo do sector da economia social).

Este instrumento de financiamento à economia social permite custear um plano de desenvolvimento num valor superior a 50 mil euros. O financiamento é não-reembolsável e corresponde até 70% das necessidades de financiamento. Os restantes 30% devem ser assegurados pelo investidor.

Como é que se pode candidatar?

O instrumento tem períodos específicos para receção de candidaturas (que devem incluir um acordo previamente firmado com o investidor). Consulte aqui os detalhes.

4. Títulos de impacto social


Este é outro dos instrumentos de financiamento à economia social do Portugal Inovação Social, envolvendo também investidores sociais.

Desta feita, o mecanismo de funcionamento é um pouco diferente: o pagamento é feito contra resultados. De que forma? O projeto deverá responder a problemas sociais prioritários de políticas públicas de forma inovadora e ser financiado, de início, por um ou vários investidores, já com uma indicação dos resultados a que pretende chegar. Se os resultados forem alcançados, o financiamento público reembolsa integralmente os investidores.

Como é que se pode candidatar?

As candidaturas funcionam em contínuo desde maio de 2018. Os detalhes da candidatura podem ser consultados na página oficial do instrumento.

5. Programa FACES – Financiamento e Apoio para o Combate à Exclusão Social

Esta é uma iniciativa da Fundação Montepio de financiamento à economia social. Centra-se especificamente em projetos que promovam a inclusão de crianças e jovens em situação de risco, famílias vulneráveis, pessoas sem-abrigo e pessoas com deficiência.

O financiamento, em forma de donativo, não tem limites mínimos e máximos definidos previamente, uma vez que depende dos projetos candidatos.

Como é que se pode candidatar?

Deverá aguardar pelo período de abertura de candidaturas, anunciado atempadamente pela Fundação Montepio.

Ler mais

Saiba mais sobre

Economia social

Torne-se Associado

Saiba mais