Interativo Crédito à habitação: até quanto posso pedir emprestado?

Mude os campos sublinhados para descobrir o seu endividamento máximo na hora de contratar um crédito à habitação.
Artigo atualizado a 27-08-2021
endividamento máximo

Há mais de dois milhões de contratos de crédito à habitação ativos em Portugal, sendo esta a modalidade de financiamento mais frequente entre os consumidores portugueses. No entanto, embora seja popular, não está isenta de risco.

O Banco de Portugal, que é a entidade que supervisiona o financiamento bancário, traçou uma série de limites ao crédito para a aquisição de casa para garantir que as famílias obtêm empréstimos sustentáveis. Entre os mais importantes encontram-se os seguintes:

  • O montante de empréstimo não deve ultrapassar 90% do valor do imóvel dado como garantida (mínimo entre o preço de compra da habitação e o seu valor da avaliação).
  • A soma das prestações mensais dos créditos deve ser inferior a 50% dos rendimentos mensais líquidos do agregado familiar.
  • A duração do financiamento deve ser inferior ou igual a 40 anos e, preferencialmente, até 30 anos.

Se considerarem necessário, os bancos pode apertar esses limites. São, todavia, os consumidores que devem dar o primeiro passo para terem sempre o controlo das suas dívidas.

Faça as suas contas

Os clientes bancários nem sempre sabem qual o montante máximo de crédito que as suas finanças pessoais conseguem suportar no longo prazo. Conhecem, porém, a margem que têm todos os meses para pagar uma prestação ao banco. É o suficiente para orientar o seu endividamento máximo.

Se a sua família suporta uma prestação mensal de até euros durante anos, então o montante de empréstimo pode ascender a 178 664 euros, assumindo uma taxa de juro de referência (a Euribor a 12 meses, por exemplo) de % e um spread, a margem de lucro da instituição credora, de %.

Não se esqueça que pode precisar de algum dinheiro para concretizar a compra da casa. Se o banco lhe empresta até % do valor da aquisição, terá de dar como entrada 15 000 euros na compra de um imóvel por euros (135 000 euros de empréstimos e 15 000 euros de entrada). Assim, a prestação do crédito, de 423,14 euros, ficará dentro dos seus limites mensais.

Dê alguma folga ao orçamento mensal

O crédito à habitação de 178 664 euros deve ser considerado um máximo para o seu financiamento. Se quiser aumentar a margem de segurança do empréstimo, reduza o limite de financiamento para 155 261 euros, porque gerará a mesma prestação máxima, de 560 euros, caso a taxa de juro suba um ponto percentual.

Se desejar ainda mais margem, de forma a que a prestação não ultrapasse esse limite caso a taxa aumente dois pontos percentuais, o crédito à habitação deve ser limitado a 135 936 euros.

Poupe para os impostos

A compra de habitação envolve vários pagamentos à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT). Na operação de aquisição, é preciso liquidar o Imposto Municipal Sobre Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) e o Imposto do Selo (IS) na celebração da escritura. Recorrendo a um empréstimo, é preciso pagar também Imposto do Selo sobre o valor do crédito à habitação. Posteriormente, os proprietários têm de liquidar periodicamente o Imposto Municipal sobre Imóveis. Saiba, ao detalhe, que impostos deve pagar na compra de casa.

A casa dos sonhos começa na poupança
A poupança é uma maratona, não um sprint, e poupar para a entrada de uma casa é um dos principais objetivos de muitas famílias. Tal como na maratona, também a poupança para a casa dos sonhos implica um esforço regular e uma preparação mental. E quanto mais cedo começarmos o nosso caminho, mais rápido chegamos à meta. A modalidade Poupança Complementar, da Associação Mutualista Montepio, possibilita um aforro regular, programado e de longo prazo. Subscreva esta modalidade ainda hoje e comece já a poupar para um futuro cheio de boas histórias.

Ler mais

Mais sobre

Casa , Crédito

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?(opcional)

Torne-se Associado

Saiba mais