< Voltar à página de Economia Social

Voluntariado corporativo Montepio: o que muda em 2019?

A sétima edição do voluntariado corporativo do Grupo Montepio marca uma nova fase para este projeto, com o dia do voluntariado a dar lugar a um mês dedicado a ações de solidariedade. Desta forma, a Associação Mutualista Montepio chega a mais comunidades e envolve mais colaboradores.

Ao longo do mês de maio (dias 10, 17, 24 e 31), um total de 620 colaborares-voluntários realizaram ações de solidariedade em 32 instituições, espalhadas de norte a sul do País, incluindo nas ilhas.

“Quando falamos em ações, falamos de comunidades e em percebermos como as podemos ajudar. Muitas das ações que realizamos neste dia passam pela recuperação de um jardim ou pintar uma escola, mas vai muito além disso. Não queremos ficar por aí. Queremos transformar a comunidade e as pessoas, por isso trabalhamos muito na área das competências”, conta Joaquim Caetano, técnico do Gabinete de Responsabilidade Social da Associação Mutualista Montepio e um dos responsáveis pelo Voluntariado Corporativo do Grupo Montepio. “Um dos PIS (Projetos de Intervenção Social) que temos em Alcântara (Lisboa) é ensinar truques de magia às crianças. É este tipo de estímulos que queremos incentivar”, explica Joaquim Caetano.

O que muda nesta edição?

1. Um mês de voluntariado

A principal mudança é que deixa de ser apenas um dia a realizar ações de voluntariado e passa a ser um mês dedicado ao voluntariado. “Percebemos que fazer um dia de voluntariado é fantástico, mas um mês de ações é muito mais produtivo e útil, tanto para nós, como grupo, mas também para as instituições”, afirma Joaquim Caetano.

Esta mudança “está ligada à estratégia que iniciámos (PIS)”, prossegue. “Deixámos de fazer voluntariado corporativo, para fazer algo muito melhor: o voluntariado transformador”.

Estender a duração temporal do voluntariado corporativo do Grupo Montepio permitiu ainda aumentar o número de colaboradores-voluntários, visto que muitos deles puderam revezar-se no cumprimento das suas funções laborais. Esta foi, de resto, uma das principais conclusões da avaliação realizada na edição de 2018: a impossibilidade de muitos colaboradores participarem no Dia do Voluntariado porque se encontravam num sistema de rotatividade com os seus colegas.

2. Reforço dos Projetos de Intervenção Social (PIS)

A sétima edição do voluntariado corporativo do Grupo Montepio vem, assim, cimentar o formato PIS – Projetos de Intervenção Social, incorporado em 2018. Na prática, porém, o formato já está a ser testado em projetos de solidariedade da Fundação Montepio desde 2015. É a afirmação do trabalho de quatro anos, testado em Lisboa, Barreiro e Porto. O objetivo de transformar uma iniciativa mais empresarial num projeto de voluntariado transformador foi atingido.

  • O que é o PIS?
    Projetos de Intervenção Social. Em vez de pré-definir instituições para ajudar ou escolher um problema para tentar ultrapassar, a organização define comunidades, apura as suas necessidades e define um plano para ajudar. Passa, assim, a trabalhar em função das necessidades da comunidade, em vez de se focar numa só instituição. É nesse olhar mais lato sobre a sociedade que o Voluntariado da Grupo Montepio pretende trabalhar.

3. Portugal, de norte a sul

Este ano, também pela primeira vez, o Voluntariado Corporativo do Grupo Montepio chega a quase todos os pontos do País, incluindo Açores e Madeira.

 

Ler mais

Saiba mais sobre

Economia social , Voluntariado

Torne-se Associado

Saiba mais