< Voltar à página de Crédito

6 cuidados a ter antes de fazer um crédito pessoal

Optou por um crédito pessoal para fazer face a uma despesa inesperada ou a um novo projeto? Antes de assinar o contrato de empréstimo, garanta que tomou atenção a todos os detalhes.
Crédito pessoal: 6 cuidados a ter antes de assinar contrato

1. Compare diferentes propostas de crédito

Não feche contrato com uma instituição de crédito sem sondar o mercado. Comece pelo seu banco e avalie as condições que lhe oferece. Depois, compare com a oferta de instituições concorrentes e veja qual a opção mais vantajosa para o seu caso. As instituições podem oferecer vantagens na concessão de crédito pessoal (redução da taxa de juro, por exemplo) com a aquisição de outros produtos financeiros. Tenha isso em conta, mas compare sempre a oferta de crédito com e sem esses produtos financeiros, para tomar a melhor decisão.

Orçamento

As prestações de crédito não devem exceder 40% dos seus rendimentos. Evite o risco de sobre-endividamento

Esteja sobretudo atento às taxas de juro associadas às diversas ofertas de instituições de crédito, analisando a taxa anual de encargos efetiva global (TAEG).

É importante que informe a instituição de crédito sobre a finalidade do empréstimo. Isto porque, dependendo da finalidade, poderá ter acesso a taxas mais vantajosas. As taxas máximas de TAEG variam consoante a finalidade do empréstimo. Por exemplo, a taxa máxima de TAEG para financiamento de férias é maior do que a taxa associada a um crédito para financiar estudos.

Essas taxas são fixadas trimestralmente e divulgadas pelo Banco de Portugal, sendo um indicador do custo anual do crédito, expresso em percentagem do respetivo montante do empréstimo. Além dos juros, a TAEG inclui comissões, despesas, impostos e encargos com seguros exigidos.

2. Avalie o impacto do empréstimo no orçamento mensal, calculando a taxa de esforço

Comece por fazer um orçamento mensal para as despesas e rendimentos do seu agregado familiar. Desta forma conseguirá controlar as finanças pessoais da sua família e avaliar a margem para contrair um novo crédito (sem entrar em risco de sobre-endividamento). A partir do orçamento, analise a taxa de esforço associada aos créditos. A prestação do novo crédito (somada a eventuais prestações de outros créditos) não deve exceder 40% dos seus rendimentos.

3. Receba e analise a Ficha de Informação Normalizada (FIN)

Quando optar por uma solução de crédito pessoal, deverá receber da entidade bancária a respetiva FIN com todas as condições do empréstimo, tais como as caraterísticas e os custos associados. A instituição é obrigada a ajudá-lo a compreender a ficha, esclarecendo qualquer dúvida que possa ter.

Nota: Mesmo que contratualize o crédito numa loja (um crédito associado, por exemplo, à compra de um produto), a entidade que concede o empréstimo é sempre uma instituição de crédito. Logo, também nestes casos deverá receber a FIN.

4. Verifique o contrato de crédito pessoal proposto

Analise a proposta de contrato, confirmando que está em conformidade com todas as condições apresentadas. Tem direito a requerer a minuta do contrato antes da sua assinatura.

5. Esclareça todas as dúvidas

Não tenha medo de fazer perguntas. Coloque todas as questões necessárias, por pouco relevantes que lhe possam parecer. Só assine o contrato quando se sentir totalmente esclarecido sobre o crédito pessoal que lhe vai ser concedido.

6. Fique sempre com uma cópia do contrato

Agora que esclareceu todas as dúvidas e assinou contrato, assegure-se de que fica com uma cópia do documento. Além disso, saiba que tem direito a receber extratos periódicos com informação sobre a evolução do empréstimo.

Ler mais

Saiba mais sobre

Crédito

Torne-se Associado

Saiba mais