< Voltar à página de Gestão diária

Cartões Multibanco: cuidados a ter para não ser vítima de fraude

Os cartões Multibanco permitem levantar dinheiro ou realizar pagamentos, em Portugal e no estrangeiro, sem o inconveniente de transportar moedas e notas na carteira. No entanto, exigem cuidados redobrados.

Os cartões de pagamento, mais conhecidos como cartões Multibanco, são práticos, mas suscetíveis a algumas fraudes, como é o caso da clonagem e falsificação de cartões. As burlas ocorrem sobretudo em caixas Multibanco e Terminais de Pagamento Automáticos, mas também em pagamentos online com o cartão de crédito. Saiba o que fazer para proteger os seus cartões Multibanco.

Clonagem de cartões: O que é o skimming?

É a leitura não autorizada dos dados registados na banda magnética, através de um terminal falso ou manipulado ou de um dispositivo de leitura portátil. Os dados roubados servem para realizar operações fraudulentas (levantar dinheiro) sem a autorização do titular do cartão.

Por regra, os burlões instalam ranhuras falsas que copiam os dados dos cartões e microcâmaras para obter os códigos pessoais.

Cuidados a ter com os cartões Multibanco

De acordo com o Portal do Cliente Bancário, do Banco de Portugal, para uma utilização cautelosa dos cartões de pagamento, existem algumas regras a cumprir.

Quando está no Caixa Multibanco:

  • Certifique-se que o Caixa Multibanco tem um aspeto “normal”, sem sinais visíveis de danos. Tenha especial atenção à ranhura de inserção do cartão. Se tiver dúvidas sobre o estado do equipamento, não utilize esse Caixa Multibanco.
  • Quando estiver a colocar o PIN, certifique-se que protege o teclado, por forma a evitar que terceiros (ou uma câmara escondida) possam ficar com o seu código;
  • Se o Caixa Multibanco capturar o seu cartão, sem apresentar motivo ou apresentar um motivo duvidoso, contacte o emitente. O terminal pode ter sido manipulado, com o objetivo de impedir que o cartão saia para, mais tarde, ser utilizado para fins fraudulentos.

Quando utiliza um terminal de pagamento automático:

  • Certifique-se que o TPA tem um aspeto normal e não está danificado. Mais uma vez, em caso de dúvida, não utilize esse equipamento;
  • Nunca perca o cartão de vista;
  • Confirme sempre o valor antes de realizar o pagamento;
  • Quando estiver a colocar o código, proteja a digitação do olhar de terceiros ou de uma câmara escondida. Opte por, por exemplo, cobrir o teclado com a outra mão.

Em caso de pagamento em TPA com cartão contactless:

Os cartões contactless permitem que faça pagamentos apenas com a aproximação do cartão ao TPA. Por regra, se o valor da transação for inferior a 20 euros não tem de inserir o PIN. Existe ainda um limite de valor de pagamentos consecutivos que pode fazer sem inserir o PIN que é, por regra, 60 euros. Estes valores são definidos pela entidade emitente do cartão. Quando utiliza este método de pagamento, há alguns cuidados a ter:

  • Confirme o valor da transação antes de aproximar o cartão contactless do leitor;
  • Nunca repita a operação. Exceto se o visor do TPA apresentar uma mensagem de que a tentativa de pagamento foi anulada ou malsucedida;
  • Peça o comprovativo do pagamento;
  • Nunca entregue o seu cartão ao comerciante e, se entregar, certifique-se que não sai da sua vista e lhe é devolvido logo após o pagamento.

Ao fazer pagamentos na Internet:

  • Dê preferência à utilização de cartões com segurança acrescida, como os cartões temporários (MBNet), cartões pré-pagos ou 3D secure;
  • Não divulgue informação confidencial, como palavras-passe ou dados do cartão de pagamento, exceto se for imprescindível para realizar a compra. Nestas situações, opte por fazê-lo em sites seguros;
  • Antes de inserir os dados do cartão e fazer o pagamento, verifique se o endereço do website começa por http:// (é sinal que é seguro);
  • Não grave os códigos do cartão no computador;
  • Evite utilizar acessos públicos para fazer pagamentos;
  • Instale um programa antivírus e uma firewall no computador.

O que fazer se desconfiar que o seu cartão foi clonado?

Em caso de perda, roubo, furto, apropriação indevida do cartão ou se suspeitar que foi clonado ou falsificado, contacte o emitente do cartão. Após esta notificação, já não pode ser responsabilizado pelos valores movimentados.

As movimentações ilícitas realizadas antes desta comunicação ficam a cargo do proprietário do cartão, até ao valor máximo de 50 euros. Este limite não se aplica caso o proprietário tenha agido de forma fraudulenta ou sido negligente com as suas obrigações.

Ler mais

Torne-se Associado

Saiba mais