< Voltar à página de Impostos

Guia prático para preencher o IRS em 2018

Este ano, o IRS é entregue exclusivamente pela Internet, através do Portal das Finanças, o que pode causar dificuldades aos contribuintes que utilizem esta via pela primeira vez. Mas não são os únicos que têm de se adaptar. Também há novidades para os restantes contribuintes. Curioso?

Quer seja um contribuinte experiente ou novato nestas andanças, não se preocupe. O Ei elaborou um guia com as instruções necessárias para o ajudar a preencher o IRS eletronicamente. Saiba o que deve fazer em cada uma das fases do processo. E não se esqueça: o prazo de entrega do IRS relativo aos rendimentos de 2017 é de 1 de abril a 31 de maio.

Vai preencher o IRS? Saiba como o fazer em 14 passos

Como preencher o IRS?

Costuma utilizar o Google Chrome ou o Microsoft Edge? Temos uma boa notícia para si: já não tem de mudar de browser para preencher o IRS. Isto porque, finalmente, a plataforma de IRS deixou de ser suportada na Applet Java, um programa que, por razões de segurança, foi caindo em desuso e sendo bloqueado pelos principais browsers.

A substituição da Applet Java por HTML implicou, no entanto, mudanças no aspeto e na navegação da plataforma de entrega do IRS. Mas nada tema: neste artigo encontra a ajuda necessária para tratar da sua declaração anual de rendimentos (modelo 3) sem complicações. Preparado para começar a preencher o IRS?

Aceder à declaração

Aceda ao Portal das Finanças, em www.portaldasfinancas.gov.pt.

Depois, clique na opção “Finanças – Aceda aos Serviços Tributários”, no canto inferior direito do ecrã.

De seguida, no menu lateral, à esquerda no ecrã, pressione na opção “Serviços”.

Na página de serviços, navegue até à opção “IRS” e clique em “Entregar Declaração”.

Para prosseguir, autentique-se com as credenciais de acesso ao Portal das Finanças, colocando nos campos respetivos o seu número de contribuinte (NIF) e a sua senha de acesso. Em alternativa, pode utilizar o seu Cartão de Cidadão. Para concluir a sua autenticação, clique no botão “Autenticar”.

Selecione a opção “Entregar a 1.ª Declaração e Declarações de Substituição”, clicando no botão “Preencher Declaração”.

Escolha o ano a que respeita a declaração que pretende preencher e entregar (neste caso, 2017) e depois prima o botão “Selecionar”.

Na janela “Assistente de Preenchimento”, selecione a opção pretendida e clique no botão “Continuar”.

Se escolher a opção “Obtenção de uma declaração pré-preenchida”, é-lhe pedido para indicar o ano dos rendimentos e o seu NIF.

É casado ou vive em união de facto? Caso deseje ser tributado em conjunto, assinale essa opção e coloque o NIF do seu cônjuge ou unido de facto. Clique no botão “Continuar” e introduza a senha de acesso do seu companheiro. Por último, prima o botão “Autenticar”.

Navegação da declaração

Na barra superior da declaração, no lado esquerdo do ecrã, a opção “Anexos” permite-lhe adicionar ou eliminar os diferentes anexos da declaração.

Se optou pela declaração pré-preenchida, à partida, não necessita de adicionar quaisquer anexos, nem de os preencher. A AT disponibiliza os anexos respeitantes à sua situação já pré-preenchidos. Por exemplo: se, em 2017, obteve apenas rendimentos de trabalho dependente, à direita da opção “Anexos” devem estar visíveis o “Rosto”, o “Anexo A” e o “Anexo H”. Tenha em atenção que se eliminar um anexo pré-preenchido, pode voltar a adicioná-lo, mas já não estará pré-preenchido.

O anexo que está a ser visualizado ou preenchido é sinalizado através do preenchimento do fundo a cor (no exemplo abaixo é o “Rosto”).

Ainda na barra superior, mas no lado direito do ecrã, encontram-se todas as funcionalidades da entrega da declaração: “Gravar”, “Validar”, “Simular”, “Ajudas”, “Imprimir” e “Entregar”.

Na barra vertical, no lado esquerdo do ecrã, estão identificados os quadros do anexo que está a ser visualizado ou preenchido. O quadro que está a ser visualizado ou preenchido é sinalizado através do preenchimento do fundo a cor (no exemplo abaixo é o “Quadro 4”).

Preencher a declaração

Finalmente, pode começar a preencher o IRS. Se escolheu a declaração pré-preenchida, grande parte da informação já lá está. Nesse caso, verifique, com cuidado, se os dados pré-preenchidos estão corretos. Caso seja necessário, corrija os elementos que não estiverem certos ou insira os que estiverem em falta.

Rosto

O primeiro anexo que deve preencher (ou conferir) é o “Rosto”. É composto por 13 quadros. Eis o que deve fazer em cada um dos quadros:

Quadro 0

Leia atentamente o alerta antes de preencher o IRS;

Quadro 1

Insira o código do Serviço de Finanças;

Quadro 2

Indique o ano a que respeitam os rendimentos;

Quadro 3

Coloque o seu nome e o seu NIF nos campos respetivos.

Quadro 4

Refira qual o seu estado civil;

Quadro 5

Se no quadro anterior assinalou que é casado ou unido de facto, no quadro 5-A, indique se pretende optar pela tributação conjunta dos rendimentos. Em caso afirmativo, no quadro 5 – B, coloque o nome e o NIF do seu cônjuge ou unido de facto nos campos respetivos.

Quadro 6

Não optou pela tributação conjunta? Então, no quadro 6 – A introduza o NIF do seu cônjuge ou unido de facto. Se tem filhos (mesmo que seja em guarda conjunta), confira se estão todos assinalados no quadro 6 – B. Se faltar algum dependente, acrescente uma linha, clicando no botão “Acrescentar Linha”, e coloque o respetivo NIF. Caso exista algum dependente a mais, remova a linha correspondente ao respetivo NIF, pressionando o botão vermelho à direita dessa linha.

Quadro 7

Se tiver algum ascendente a viver consigo em comunhão de habitação e que não tenha um rendimento mensal superior à pensão mínima do regime geral (269,1 euros, em 2017); inscreva o seu NIF no quadro 7 – A.

Quadro 8

Coloque a sua residência fiscal;

Quadro 9

Inscreva o seu IBAN. Tenha em atenção que o IBAN deve ser de uma conta bancária que lhe pertença. Se for casado ou viver em união de facto, indique um IBAN que corresponda a uma conta conjunta (sua e do seu cônjuge ou unido de facto);

Quadro 10

Assinale se se trata da primeira declaração do ano ou de uma declaração de substituição;

Quadro 11

Quer consignar 0,5% do seu IRS e o benefício do IVA suportado. É aqui que deve fazê-lo. Para isso, indique a entidade que quer beneficiar, o respetivo NIF e o tipo de consignação. Ainda não escolheu quem ajudar com o seu imposto? Saiba como o seu IRS pode transformar-se em carrinhas.

Quadro 13

Este quadro deve ser preenchido no caso de declarações de substituição.

Outros anexos

Adicione os anexos que forem necessários e preencha-os. Se já estiverem visíveis e pré-preenchidos, clique em cada um e confira se está tudo bem.

Atenção ao “Anexo H”. É aqui que constam os benefícios fiscais e as deduções à coleta que ajudam aliviar a fatura do IRS. Se escolheu a declaração pré-preenchida, verifique se os valores de despesas pré-preenchidos coincidem com os que efetivamente suportou. Deu por falta de despesas de saúde, educação, imóveis ou lares? No quadro 6 – C pode prescindir do pré-preenchimento e inserir manualmente as despesas dessas categorias. Não se esqueça que, nessa situação, deve colocar todas as despesas e não apenas as que estão em falta.

Validar a declaração

Após preencher o IRS, confira se existem erros, clicando no botão “Validar”, na barra superior, no lado direito do ecrã, e corrija-os. A informação incorreta é assinalada a cor vermelha.

Simular a liquidação da declaração

Simule a liquidação da declaração e fique a saber qual o valor do IRS que terá de pagar a mais ou receber de volta. Para isso, na barra superior, no lado direito do ecrã, clique no botão “Simular”. Se desejar imprimir a simulação, carregue no botão “Imprimir”.

Entregar a declaração

Para entregar a declaração, prima o botão “Entregar”, na barra superior, no lado direito do ecrã.

Obter comprovativo de entrega

Cerca de 48 horas após a submissão da declaração pode obter um comprovativo. Na sua página do IRS, no Portal das Finanças, no menu lateral, à esquerda no ecrã, clique na opção “Obter comprovativos” e escolha a declaração referente a 2017. Por último, clique no botão “Comprovativo”.

Ler mais

Saiba mais sobre

Impostos , IRS

0

Comentários

Comentários

Os comentários podem ser editados por questões de clareza e para permitir respostas mais gerais.