< Voltar à página de Poupança

11 estratégias para umas finanças pessoais em forma

Quer ter as suas finanças pessoais sob controlo ao longo de todo o ano? Tome nota de 11 sugestões.
Saiba como ter as suas finanças pessoais sob controlo

Tem o objetivo de melhorar a sua qualidade de vida? Se a resposta for “sim” já decidiu que vai praticar mais exercício, deixar de fumar e adotar um estilo de vida mais saudável. E se também apostasse numa estratégia para ter as suas finanças pessoais em forma? Cuide melhor do seu dinheiro.

Quer ter as suas finanças pessoais sob controlo? Siga estas sugestões.

1. Fundo de emergência

Se ainda não tem, crie um fundo de emergência. Se já tem, aposte no seu reforço. Como o nome indica, um fundo de emergência consiste numa conta poupança destinada a cobrir situações inesperadas, como uma avaria no carro, uma inundação em casa ou uma situação de desemprego ou doença, por exemplo.

2. “Almofada de segurança”

Acumule poupanças que lhe permitam pagar as despesas ao longo de um período entre seis e 12 meses. O objetivo de um fundo de emergência é preparar o futuro sem hipotecar o presente. Por isso, não é necessário dispor, logo de início, do montante total para criar o fundo. Este deve, ao invés, ser construído através de um plano de poupança mensal, ao longo do tempo.

3. Orçamento familiar

Ainda não tem um orçamento familiar? Crie o seu desde já. Desenhar um orçamento pode não parecer muito entusiasmante, mas fazê-lo é um passo essencial para ter as suas finanças pessoais saudáveis. Crie, pelo menos, uma coluna para as receitas do seu agregado familiar e outra para as despesas.

Veja nesta infografia Ei como fazer um orçamento.

4. Controlo atualizado

Mantenha o seu orçamento atualizado. Na coluna das despesas deve incluir os gastos fixos, como a renda da casa, a prestação do carro, as despesas regulares com a educação dos filhos (se for o caso), as despesas com água, luz e gás, e as contas do supermercado.

5. Pague-se a si primeiro

Crie o hábito de poupar mal recebe o seu salário. Os especialistas recomendam colocar de parte 10% do seu salário assim que o recebe. Já ouviu a máxima “pague-se a si primeiro antes de pagar aos outros”? Além do fundo de emergência, mantenha uma solução de poupança que deve ir reforçando mensalmente, com uma quantia fixa, e para a qual também pode (e deve) canalizar, quando for possível, outras quantias extra (resultado de um subsídio de férias ou de Natal, de um bónus salarial, etc.).

6. Desfrute da vida

Se depois de pagar as suas despesas e o valor para poupar ainda lhe sobrar algum dinheiro, pode destiná-lo ao lazer, como comer fora ou ir ao cinema ou ao teatro, por exemplo. É necessário que vá desfrutando de pequenos mimos para que manter as suas finanças pessoais em forma não seja um sacrifício.

7. Monitorizar a evolução das contas

Avalie se o seu orçamento está a resultar. O objetivo de manter um orçamento é ir avaliando a evolução das receitas e das despesas a cada mês que passa. Assim, e à medida que for controlando o dinheiro que entra e sai mensalmente, poderá tomar medidas para, das duas uma: reduzir as suas despesas ou aumentar as suas receitas.

8. Rever os seguros

Reveja os seus seguros. Se ao longo do último ano não teve oportunidade de avaliar os seus seguros (de saúde, da casa, do carro, de vida…), estude a possibilidade de os renegociar junto da(s) seguradora(s), de modo a beneficiar de condições mais vantajosas.

9. Ferramentas de finanças pessoais

Aposte em ferramentas que o ajudem a poupar. Já ouviu falar no livro de contas Kakebo, publicado em Portugal pela editora Vogais? O nome kakebo, com origem no Japão significa “livro de contas para a economia doméstica” e foi criado por Motoko Hani (a primeira jornalista do Japão, que viveu entre 1873 e 1957). O livro é uma ferramenta que permite registar e controlar todas as receitas e despesas diárias, analisar os resultados mensalmente, estabelecer objetivos de poupança, manter um registo atualizado das contas, e perceber quais são as despesas menos necessárias e mais dispensáveis.

10. O amigo mealheiro

Compre um mealheiro. Não, não é só para as crianças. Experimente oferecer a si próprio um mealheiro e deposite diariamente algum dinheiro que tenha conseguido poupar. Seja com o pequeno-almoço que, em vez de tomar no café, tomou em casa, com o bolo que acabou por não comprar para o lanche, optando antes por uma peça de fruta (opção mais económica e saudável), ou com os almoços fora que poupou ao levar as refeições de casa durante um mês, só para dar alguns exemplos. Vá amealhando esse dinheiro e pode ser que se surpreenda.

11. Um sonho por ano

Defina um grande objetivo anual. Uma viagem? Umas férias especiais? Uma formação? Trocar de carro? Defina de quanto dinheiro necessita para concretizar esse grande objetivo e formule um plano de ação para lá chegar.

Ler mais

Este artigo foi útil?

Lamentamos saber. Deixe-nos a sua sugestão de como melhorar?

Torne-se Associado

Saiba mais