Famílias monoparentais: direitos e apoios

Vantagens no IRS, majoração no abono de família e no subsídio de desemprego são alguns dos benefícios a que as famílias monoparentais podem recorrer.
Artigo atualizado a 19-01-2024

As famílias monoparentais, compostas por um adulto que reside com um ou mais filhos dependentes ou por uma grávida a morar sozinha ou com outras crianças, contam apenas com o rendimento de uma pessoa para fazer face a todas as despesas e, por isso, encontram-se numa situação de maior vulnerabilidade económica. Em Portugal, representam 18,5% do total das famílias, segundo dados de 2021, divulgados pela Pordata.

Como explica a jurista Marta Fonseca Ferreira, da sociedade de advogados PRA – Raposo, Sá Miranda & Advogados, ao falar de famílias monoparentais incluímos “não só as situações de co-residência exclusiva dos filhos com um dos progenitores, predominantes no passado, mas também as novas situações de co-residência rotativa dos filhos e as formas de partilha coparental”. Atendendo à fragilidade financeira de muitas destas famílias, o Estado garante-lhes benefícios específicos. Do desemprego ao abono, conheça os apoios a que têm direito.

Abono de família extra para famílias monoparentais

Quem vive sozinho com uma criança, pode solicitar uma majoração de 50% no valor do abono de família e de 35% no abono de família pré-natal. Para poder usufruir deste apoio, tem de requerê-lo à Segurança Social e fazer prova da sua situação. “Quando o agregado seja monoparental com crianças a cargo, devem ainda entregar o acordo homologado ou a sentença da regulação das responsabilidades parentais”, explica Marta Fonseca Ferreira, acrescentando que “caso ainda não exista ou não tenha sido iniciado o processo de regulação, o mesmo deverá ser feito com a maior brevidade possível, junto da conservatória ou do tribunal de família e menores e entregue o respetivo comprovativo da apresentação do pedido”.

A atribuição do abono de família varia em função do rendimento do agregado familiar e da idade do menor (é pago até aos 16 anos; depois disso, só pode receber este apoio quem frequente um nível de ensino adequado à idade).

Vantagens no IRS

As famílias monoparentais usufruem de benefícios adicionais no IRS, adianta a advogada. Podem deduzir 45% do valor das despesas gerais e familiares, até ao limite de 335 euros, enquanto as restantes têm direito a uma dedução de 35% nos mesmos gastos, com um teto máximo de 250 euros. É importante, também, ter em conta que, independentemente de serem ou não monoparentais, todas as famílias têm direito a uma dedução fiscal por cada criança ou jovem: 726 euros até aos três anos e 600 euros para os maiores de três anos.

A partir do segundo filho (até aos seis anos de idade), o benefício é de 900 euros, qualquer que seja a idade do primeiro, explica Marta Fonseca Ferreira.

Subsídio de desemprego acrescido

Se o único adulto que compõe a família monoparental ficar sem trabalho, o agregado tem direito a uma majoração de 25% do valor da prestação de desemprego, frisa a jurista. Este benefício aplica-se também a quem estiver a receber o subsídio por cessação de atividade. Atenção que este não é um apoio concedido automaticamente: implica um requerimento à segurança social.

Teletrabalho para famílias monoparentais

Um pai ou uma mãe sozinhos com os filhos pode ficar em teletrabalho, desde que as crianças tenham até oito anos. Um direito que o empregador não pode negar, se a atividade for compatível com o trabalho à distância, a empresa tiver 10 ou mais trabalhadores e possuir recursos meios para a sua concretização.

Apoios na habitação

As famílias monoparentais com rendimentos reduzidos podem candidatar-se a programas de apoio na área da habitação. Quem vive em condições indignas, não tiver alternativa e se encontrar numa situação financeira precária pode recorrer ao regime do arrendamento apoiado. Outra hipótese passa pelo Programa de Apoio ao Arrendamento (antes designado Programa de Arrendamento Acessível): para que um agregado monoparental possa ser elegível tem de ter um rendimento anual até 35 mil euros.

Ler mais

Mais sobre

Família

Este artigo foi útil?

Se ficou com dúvidas ou tem uma opinião que deseja partilhar, preencha o formulário abaixo para entrar em contacto connosco.

Torne-se Associado

Saiba mais